terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Cinebook | Cinquenta Tons Mais Escuros #34


Avaliação:
     

ATENÇÃO: Este Texto contém alguns SPOILERS! 

Um pouco mais de amor, fazendo um filme com os padrões de Anastasia Steele.

Para os leitores da trilogia, o filme não trará grandes surpresas e logo perceberam que muitas cenas foram cortas logo de inicio e outras modificadas para melhor. Agora o Christian Grey perde o seu jeito 'mulherengo, sádico e canalha' assumindo o papel de romântico arrependido. Após a sua demostração de prazer com relação a dor de Anastasia, perdendo-a para um fetiche, Grey  luta para reconquistar a jovem que não está disposta a ceder a menos que isso seja a sua vontade. No livro o envolvimento de Grey ao se revelar de fato apaixonado demora, já no filme é tudo mais imediato. Christian e Ana acabam voltando após um beijo ao estilo 'Tons de Cinza' e logo seguem para seu lugar favorito: a cama. 

A atmosfera romântica toma conta do universo "Cinquenta Tons Mais Escuros", mas apesar de Grey aceitar os termos de Anastasia ele ainda sente necessidade de usar seus "acessórios" diversas vezes durante do trama, não perdendo o clima sexy da história original. (Afinal estamos falando de Tons de Cinza).

Como no livro a interação da família Grey é maior neste filme, assim como os amigos de Ana também aparecem com melhor destaque se comparado ao primeiro. Isso cria um aspecto mais receptivo, saindo do arco "Cristhian e Ana" do filme anterior, onde parecia que apenas ambos existiam e ninguém mais, então neste sentindo este filme se tornou mais interessante pelas histórias paralelas que se encaixam ao contexto principal. O sexo entre o casal se tornou uma consequência dos sentimentos que alimentam um pelo outro e não algo que acontecia por acontecer por causa de um contrato como em Cinquenta Tons de Cinza.

A nova fase do relacionamento de Ana e Christian, sem regras, sem punições, sem segredos, permitiu que a "ingenua jovem" do primeiro filme se transformasse em alguém que conhece e aprende a lidar com seus limites sexuais e não só os exigidos pelo homem. Isso também fez com que Christian deixasse Ana moldá-lo ao seu jeito, mostrando o caminho para ambos aproveitassem o momento de fantasia, sem necessidade de castigos e punições. Apesar do aspecto amoroso de um relacionamento recentemente estabelecido, em relação ao sexo, ambos agem como um casal de anos de relacionamento (que possuí bastante intimidade) com cenas mais explicitas e com menos preliminares. Tornando-se algo mais natural e comum entre um casal que se ama já a mais tempo.


Porém para envoluir, Christian tem que perder alguns hábitos, então que tal começar com Mrs. Robinson? Que ela é uma pedra no sapato de Ana nos livros isso já sabemos, mas ver a atriz Kim Basinger interpretá-la tão bem, com sua postura e classe foi muito bom. Ela vive a polêmica Mrs. Robinson, amiga da mãe de Grey e responsável por apresentar o universo sadomasoquista para o adolescente Christian. 


Quando Grey leva Ana a seu salão e ela percebe que a mulher está a avaliando, nota que indiretamente Robinson, ainda domina Grey. Anastasia logicamente fica ofendida com a dinâmica tão intima entre eles. Francamente acho que qualquer mulher odiaria essa situação. Logo Mrs. Robinson, também joga as cartas na mesa mostrando que não gosta de perder, e isso leva a uma das melhores cenas...não vou dar spoilers, mas a mãe de Christian Grey representa muitos fãs com sua atitude!


Mas seguindo adiante vemos como Anastasia é acolhida pela família de Christian justamente pelas mudanças dele com relação as pessoas. O homem reservado, que não permite ser tocando aprende que o passado não pode refletir no seu futuro, impedindo que se deixe envolver e se apaixonar com alguém, postura totalmente oposta da que Mrs. Robinson induzia Christian. Outro ponto pouco visto em "Cinquenta Tons de Cinza" foi a mania de possessão de Grey em querer sempre controlar tudo ao seu redor incluindo Anastasia. Neste segundo filme da franquia fica bem claro que Ana não deseja ter nada de Christian ela quer apenas "salvá-lo" de si mesmo, tê-lo como um amante carinhoso e um companheiro para o resto da vida se adaptando e o equilibrando suas necessidades. 



Apesar da série "Tons de Cinza" não ser uma das minhas favoritas, me recordo que o segundo volume deixou-me curiosa justamente pelo fato de revelar partes essenciais do passado de Christian Grey e toda a sua pesada bagagem que o tornou um homem bem sucedido e ao mesmo tempo com tantos traumas internos. Mesmo não tendo a presença física de um personagem como psicologo de Grey o que intensificava o fato de seus "problemas" no livro, o próprio protagonista revela seus segredos no filme, o que ficou muito mais direto, envolvente e emocional na minha opinião. 



Quando Leila sua antiga submissa aparece diante de Ana, depois de várias sinais de ameça vemos o Christian do passado entrar em conflito com o Christian atual mantendo o controle total da situação. O que foi estranho e o choque de Ana é uma cena muito real, trazendo a tona o peso e o drama do segundo livro da serie para a tela. 






Algo que não acreditava ser possível ver em um filmes dessa franquia era cenas que despertassem humor. Quando vemos o novo chefe de Ana, Jake em cena o Sr. Grey mostra as suas garras em tom de ironia logicamente, mas ainda sim causando um tom engraçado pela sua postura diante das situações que é colocado. E só para não deixar passar a sua relação com sua irmã Mia é adorável neste filme. 

Outro momento tocante foi a quebra de Christian, quando ele permite enfim ser tocando por Anastasia, achando que pode perde-la novamente praticamente implorando para que ela fique, agindo como submisso (um dos momentos mais sentimentais do livro) foi uma bela cena, mostrado a fragilidade do personagem ao lidar com seu interior sombrio. Essa cena só perde para sua volta após o acidente de avião. 

Enfim, "Cinquenta tons mais escuros" termina semelhante ao livro em clima de romance, com um pedido de casamento encantador e com uma  promessa de vingança da parte de Jack que perdeu tudo por causa de suas atitudes inconsequentes e Mrs Robinson que está se sentindo humilhada e ferida com a felicidade do casal. Como aconteceu com os livros, gostei mais deste filme com relação ao primeiro. Os novos fatos da história do Christian, e ver como Anastasia acaba se tornando uma ancora de salvação para ele, tornou tudo mais interessante neste segundo filme da franquia. 


Para você que ainda não assistiu e ficou curioso (a) Confira o Trailer abaixo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atividades do Blog