sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Resenha | Caixa de Pássaros - Josh Malernan




Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Avaliação:     


Reflita por um instante: Você está preso a um mundo onde enxergar é perigoso, que sair de casa é arriscado, que pessoas precisam se unir para ter uma porcentagem mínima para sobreviver. Batidas na porta são sinônimo de medo, assim como o canto dos pássaros é presságio de coisas ruins. Agora, os cobertores cobrem os vidros das janelas, as vendas são essências, os alimentos são itens raros e a esperança se perde um pouco a cada dia, ainda sim você continuaria fazendo o possível para viver? O qual drásticas seriam suas medidas para se adequar nesse novo mundo? 

Ao ler o subtítulo de Caixa de Pássaros "Não abra os olhos" me lembrei automaticamente da obra de José Saramago, "Ensaio sobre a cegueira" um livro que li na época da faculdade e gostei bastante. A princípio foi essa ligação que gerou minha curiosidade e assim embarquei nesta leitura. Porém, mesmo que esse livro siga uma narrativa similar no sentido pós-apocalíptico decorrente a uma situação que todos "perdem a visão", aqui todo o caos é ocasionado por criaturas que não podem serem vistas, as pessoas sabem como se precaver e a situação obriga os sobreviventes a manterem seus olhos fechados para que não sejam vítimas de si próprios após enlouquecerem completamente.

Neste cenário caótico, Malorie narra os fatos entre acontecimentos do presente e do passado, mostrando em diferentes perspectivas como as criaturas influenciaram diretamente em sua condição de vida atual. Narrar um livro dessa forma é algo admirável e também arriscado, pois o escritor está pensando simultaneamente nos diferentes tempos da história e um deslize pode comprometer toda a trama. Mas felizmente esse não é o caso de Caixa de Pássaros, onde essas variações contribuem para o envolvimento do leitor até sua página final. 

Malorie precisa fazer escolhas decisivas pois não se trata apenas da sua vida, mas também de duas crianças de 4 anos sobre a sua responsabilidade que nunca viram a luz do dia. Ela não apenas deseja, como busca uma alternativa melhor para eles. Por eles, logo ela que nunca se imaginou mãe, que perdeu tanto, que precisa lutar e ter força no meio de tanta dor, isso sensibiliza, assusta e gera conflito ao longo da leitura. Essa instabilidade, agonia presente no texto, nos conecta profundamente as emoções da protagonista. Cada luta, cada pequeno movimento no mar, e no seu amor sutil acompanhado de um pedido de desculpas oculto a cada vez que pensa não ser capaz de continuar, tendo plena convicção que precisa seguir, comove. 

Enfim, esse livro faz o leitor sentir na pele os sentimentos apresentados na narrativa, levando-o para dentro de um caminho enigmático em buscas de respostas que podem ou não serem respondidas até o final das páginas. Vale a pena conferir!


Curiosidades | Minhas leituras de Janeiro


Hora de retornar aos velhos hábitos! 

O mês de Janeiro foi um mês de recomeço em relação ao mundo literário. Isso porque decidi que dedicaria mais tempo ao blog este ano e consequentemente as minhas leituras que estavam em um ritmo bem lento no ano passado. Em 2018 li apenas 17 livros, sendo o ano que li menos comparado aos demais. Então, algo precisava mudar! Agora, estou usando um planner para organizar minhas leituras e lendo livros digitais com meu novo companheiro, o Kindle. Em breve faço uma notinha sobre minha experiência com esse leitor digital para vocês, mas vamos ao que interessa, as leituras de Janeiro! 

Finalmente sai da minha zona de conforto e padrão de duas leituras mensais. Escolhi quatro livros diversos e intrigantes. O primeiro foi "Ordem de Extermínio" da série Maze Runner escrito pelo autor James Dashner, livro que a muito tempo namorava na minha estante mas só agora o li. O segundo foi o romance de Raiza Varella, "Caçadora de estrelas" que durante minhas buscas por livros digitais o encontrei e me encantei imediatamente. A terceira leitura foi "Deadfall"que após 4 tentativa enfim a consegui conclui-lo e o último escolhido foi "Caixa de Pássaros" de Josh Malerman, livro que foi adaptado pelo Netflix sendo um grande sucesso, o que me deixou bem curiosa. 

1. Ordem de Extermínio - James Dashner




Em Ordem de Extermínio há uma breve introdução sobre o exato momento que Thomas e Teresa são separados, para que o rapaz seja enviado a Clareira. Primeiramente parece que o autor está apenas usando fatos conhecidos para prender o leitor, mas se tem algo que aprendi é que em algumas histórias o prólogo tende a ser crucial para o desfecho da narrativa e esse é exatamente o caso deste livro. Ler este livro, fez com que me lembrasse o porque gostei de Dashner, quando li Correr e Morrer, ele é intenso, detalhista, faz o leitor sentir o peso de cada ação colocada na narrativa, lembrando-o que haverá uma consequência quando os humanos alteram através de meios inadequados o equilíbrio natural das coisas. Resumindo, James Dashner se assemelha muito com Suzanne Collins (escritora de Jogos Vorazes), ele faz o leitor sair no universo Maze Runner e pensar em seu próprio meio ambiente, usando a ficção para chegar em reflexões que vão além da história que criou, escritores assim, são admiráveis em minha opinião.

2. Caçadora de Estrelas - Raiza Varella




Como disse diversas vezes ao longo da leitura no meu histórico do skoob, sentia como se estivesse lendo um roteiro de uma novela. Isso porque, este livro adota uma dinâmica diferente, sendo imprevisível ao longo das páginas. Quando iniciei, lembro de ter pensado que estava lendo mais um romance clichê, que acaba decepcionando, trazendo coisas repetitivas já conhecidas. Porém mesmo que este livro a principio tenha elementos para isso, as reviravoltas fazem o leitor refletir sobre como o tempo é algo precioso em nossas vidas e como isso se aplica até mesmo no amor. Todos os personagens estão conectados de uma maneira muito profunda e dolorosa. Com grande carga emocional por conta de segredos e responsabilidades. Existindo reflexões referentes ao tempo que temos para viver ao lado de alguém e quanto tempo desperdiçamos quando não seguimos nossos sentimentos, o nosso coração. Gabriel e Eva me conquistaram, não apenas por sua cumplicidade, amizade, mas também por evoluírem um com outro diante das dificuldades. Gabriel nunca abandou Eva e quando ele mais precisa, Eva aprende a lição mais valiosa da sua vida, o amor muitas vezes exige sacrifícios. Este livro deixa a lição: O tempo é algo valioso, use-o com sabedoria. #Recomendo.

3. Deadfall - Anna Carey




Ufa! Após cinco tentativas, enfim li esse livro!
Para aqueles que leram minha resenha de Black bird, primeiro livro da duologia, disse que Deadfall só mereceria minhas cinco estrelas se preenchesse as lacunas que ficaram abertas, mantendo o ritmo eletrizante do volume um. Apesar de o livro possuir ambos, foi difícil embarcar na leitura de primeira, e agora que finalmente a fiz, fiquei decepcionada com seu final prematuro e repentino.
Em Deadfall, Sunny encontra Rafe, o rapaz de seus sonhos. De maneira quase natural seus instintos a fazem acreditar nele. Rafe demonstra preocupação,também fala os ocorridos da ilha e enfim diz o nome verdadeiro dela: Lena Marcus. Juntos eles seguem para Nova York, para encontrar outros alvos dessa caçada mortal. Sim, o livro explica todas as lacunas abertas com riqueza de detalhes. Quando a GAA é inserida da narrativa há um madurecimento muito rápido da personagem. Vemos o quanto ela é corajosa, ágil e inteligente e como a organização conseguiu trazer tantas pessoas para esta caçada. É empolgante, ver alvos unidos, sendo Lena o foco central do grupo. Neste sentido a autora consegue novamente entreter o leitor, gerando curiosidade. Apesar de gostar da duologia pelos elementos que foram apresentados, classifiquei este livro com três estrelas, porque o final não me agradou. Enfim, narrativa boa, mas com um final que deixa a desejar.

4. Caixa de Pássaros 




Reflita por um instante: Você está preso a um mundo onde enxergar é perigoso, que sair de casa é arriscado, que pessoas precisam se unir para ter uma porcentagem mínima para sobreviver. Batidas na porta são sinônimo de medo, assim como o canto dos pássaros é presságio de coisas ruins. Agora, os cobertores cobrem os vidros das janelas, as vendas são essências, os alimentos são itens raros e a esperança se perde um pouco a cada dia, ainda sim você continuaria fazendo o possível para viver? O qual drásticas seriam suas medidas para se adequar nesse novo mundo? Neste cenário caótico, Malorie narra os fatos entre acontecimentos do presente e do passado, mostrando em diferentes perspectivas como as criaturas influenciaram diretamente em sua condição de vida atual. Ao ler o subtítulo de Caixa de Pássaros "Não abra os olhos" me lembrei automaticamente da obra de José Saramago, "Ensaio sobre a cegueira" um livro que li na época da faculdade e gostei bastante. A princípio foi essa ligação que gerou minha curiosidade e assim embarquei nesta leitura. Porém, mesmo que esse livro siga uma narrativa similar no sentido pós-apocalíptico decorrente a uma situação que todos "perdem a visão", aqui todo o caos é ocasionado por criaturas que não podem serem vistas, as pessoas sabem como se precaver e a situação obriga os sobreviventes a manterem seus olhos fechados para que não sejam vítimas de si próprios após enlouquecerem completamente.Enfim, esse livro faz o leitor sentir na pele os sentimentos apresentados na narrativa, levando-o para dentro de um caminho enigmático em buscas de respostas que podem ou não serem respondidas até o final das páginas. Vale á pena conferir!

Espero que tenham gostado das minhas leituras de Janeiro. Até o próximo mês, leitores!

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Notícias | Editora Novo Seculo lança série Marvel em capa dura


A Editora Novo Século anunciou por seu instagram uma novidade para os fãs Marvel de plantão!  

Faz alguns anos que a editora vem publicando diversas obras do universo Marvel, agora os livros ganhará uma nova versão em capa dura. 

Confira recadinho da editora:

"Depois do sucesso de Guerra Civil em capa dura, agora está disponível a série inteeeeira em capa dura. " 

Como não amar essa notícia, não é mesmo?


Citação #61 - Caçadora de Estrelas



" Para todas as pessoas que, assim como eu, possuem um pontinho brilhante no céu. Para aqueles que sabem como a saudade dói e sabem como matá-la em noites estrelas."

" Sempre existiu apenas uma garota para mim, e com essa eu não tive problemas para me acostumar - parece que o lugar dela sempre foi dentro de mim. Se eu olhar para trás, para o passado, não consigo me lembrar da minha vida sem a Eva."

"Posso apostar que, de novo, vou vê-la destruída e sem esperança. Um monte de caquinhos, sem ninguém para recolher. Sempre fui eu quem fez isso. Eu ajoelhava, recolhia seus pedaços do chão, juntava tudo e colava, e a cada vez Eva deixava um pouco de ser Eva. A cada remontagem, uma parte dela era perdida no processo: aniquilada, esquecida, abandonada. Por mais que eu tentasse fazer um bom trabalho, ela nunca voltava a ser a mesma, e eu sempre me culpava por isso."

" Sou uma moça de família, trabalhadora, que paga os malditos impostos e nunca tinha feito nada tão maluco na vida quanto pegar um avião para ir atrás de um cara que mal conhecia. Eu sou carinhosa, romântica. Às vezes falo demais, mas esse é só um defeitinho que eu tenho.  - Acho que as sobrancelhas do bonitão tê algum problema, porque não param de se arquear."


" Não que eu seja perfeita - não passo nem perto -, que seja a personificação da educação e limpeza ou tenha construído um futuro brilhante, mas nunca passei fome, muito menos frio, e aprendi os devidos valores de caráter que meu pai me ensinou. Por exemplo, eu sei que não devo me casar sem contar para as pessoas mais importantes da minha vida, que não devo roubar o animal de estimação alheio e muito menos me beneficiar dos bens de outras pessoas sem permissão. Ok, eu fui embora, sei disso, mas todos me conhecem bem para saber que eu iria. Não menti para ninguém, enquanto nenhum deles foi sincero comigo."


" Aquele cara acabou comigo, mas Gabriel me garantiu que faria tudo ficar bem e eu acreditei. Eu sempre acreditava, porque ele fazia  mesmo. É o tipo de pessoa que transforma qualquer merda em algo  bonito de olhar. Tudo que ele toca vira ouro. só de olhar para ele eu me sinto preciosa."


" Sempre foram gestos. Sempre foram doações. Sempre foi amor. Sempre fomos nós. Não houve sequer um dos meus relacionamentos fracassados em que Gabriel não tenha se preocupado em recolher os caquinhos do meu coração partido e os enfiar em seus bolsos, para mais tarde colar cada um deles e me devolver um coração novinho em folha, só para que eu pudesse dar para outro cretino quebrar. "


" Decido jogá-la no mar. Passo a correr mais rápido, a raiva fervendo dentro de mim, punhos cerrados e uma série de palavrões eu em poucos segundos eu vou pôr para fora, mas estaco no lugar assim que vejo seus ombros se sacudirem violentamente. Ela está chorando. Minha garota está chorando. Fico tão espantado que não consigo sair do lugar. Eva não chora, nunca. Ela apenas se destrói, mas nunca, nunca, chora."


" Você não deixa de ser importante nem quando faz merda - ele sussurra baixinho. - Não deixa de ser importante quando eu passo meses preocupado, meses olhando para o telefone e pensando em você. Não deixa de ser importante quando desaparece, me rouba ou invade a minha casa. Se você matar alguém, eu esqueço a ética e te encubro. Olha o nível disso! Se fosse antes eu não precisaria de uma confirmação, mas, como agora está tudo dando errado, é bom escutar que sempre tive uma nova chance."


" Minha única falha foi apostar em uma pessoa que pensei que me faria feliz, e naquele momento eu decidi que preferiria me arrepender se desse errado a passar uma vida inteira pensando em como teria sido aquela história de amor. Será que foi uma falha imperdoável, a ponto de todas as pessoas que eu amo simplesmente me excluírem da vida delas por causa disso? Em um dia eu acho que conheço minha família e meus amigos, e no outro não sei mais quem são essas pessoas, o que pensam e por que acham que as suas atitudes não me machucam. Eu não esperava que ninguém parasse de viver porque eu fui embora, mas esperava, no mínimo, que ainda tivessem algum respeito por mim e não mentissem tanto."


" Dormir na mesma cama que Gabriel sempre foi simples, normal e rotineiro, mas desta vez sinto toda as partes do meu corpo responderem com alertas de perigo."


" Ela me falou que estava certa de que Levi era o homem dos seus sonhos e que segui-lo para outro país era a melhor alternativa para encontrar a felicidade. Já eu achava que esse era o pior erro que ela poderia cometer. Eva queria abandonar tudo por alguém que mal conhecia, e isso doeu. Doeu porque sempre estive ao seu lado e ela nunca abandonou nada por mim, principalmente a venda que sempre cobriu seus olhos, impedindo que enxergasse o que eu sentia.Todos sabiam, sempre souberam. Não que eu realmente tivesse contato para alguém. Mas imagino que meus sentimentos, que em nada se pareciam com amizade apenas, eram perceptíveis, quase palpáveis para quem quisesse ver. Infelizmente não para ela, nunca para ela. Eu sempre a amei. Não sei bem quando começou, mas provavelmente ainda nem sabíamos falar quando eu peguei na mão daquela garotinha e não quis mais soltar."


" No fundo sempre esperei pelo dia em que Eva se daria conta de que eu era o cara que daria a vida por um sorriso seu, que faria o impossível para vê-la feliz e nunca derramaria uma lágrima sequer de seus olhos, mas isso foi antes. Eu lhe jurei que, se entrasse naquele avião, não ia mais esperar por ela. Claro que Eva não entendeu: saiu da minha casa batendo os pés feito a menina mimada que é, acreditando que eu estava me intrometendo em sua vida, podando suas asas e deixando de acreditar em seus sonhos. Eu? Eu só estava cansado de sofrer.
 Eu fiz tudo por Eva, e ela simplesmente decidiu ir embora. Eu não sabia o que fazer para que ela compreendesse que eu era muito mais que um amigo que não aceitava sua escolha, que eu queria ser a escolha."


" Por que você não vem comigo? Vamos olhar as estrelas no jardim.  Ela não precisou repetir. A noite estava serena e agradável, com um céu repleto de estrelas cintilantes. Eu me deitei ao lado dela em uma manta no meio do gramado dos fundos e encostei a cabeça em seu ombro. Lembro-me de me sentir feliz e realizada e de pensar que não havia nada no mundo que eu gostasse mais do que estar com a minha mãe."


" Às vezes, amar alguém que não se pode ter arrasa uma pessoa."


" - Se você ama alguém de verdade, você fica, Eva. - Ele é incisivo. - Não importa quanto doa se despedir, ou do que tenha que abrir mão, você fica."


" Sempre fui sua preferência e acho que continuo sendo, mas não consigo o que Gabriel faria se eu me sentasse com ele e lhe dissesse que o quero para mim. Que o amor inocente que sempre foi palco para nossa amizade preencheu todos os buracos do meu coração e se transformou em algo mais, se transformou em paixão. Que eu quero que ele me beije de uma maneira diferente, menos morna, menos carinhosa, com mais intensidade, mais desejo e no lugar certo, assim como quero beijá-lo sempre que olho para seus lábios, o que venho fazendo com uma frequência impressionante."


"  A verdade por trás do meu sorriso é um adeus
Imagine se um dia eu não acordar.
Quem vai puxar assunto com você?
Quem vai mentir que você é legal?
Imagine se arrepender de não ter dito tudo que eu perguntava.
E eu vou morrer sem nunca saber se você, no fundo, me amava.
- FRESNO, " Se algum dia eu não acordar"


" - Tem coisas que nem mesmo eu sou capaz de resolver, e um dia eu posso não estar mais disponível para resolver nada - ele cochicha no meu ouvido, me obrigando a andar. Há dor em suas palavras. Não deveria, afinal ele é apenas o cara ignorante; é a mim que elas ferem. Ele está dizendo que vai me abandonar?"


" Amor mesmo, amor de verdade, daqueles que fazem a gente cometer loucuras e virar do avesso. Já amou uma gatinha assim? - As lágrimas escorrem. Eu passo as costas da mão pelo rosto, sem jeito, e olho para baixo, para os riscos mais escuros nos tacos da escada. - É um amor real, fiel e desmedido. Acho que é a porra de um amor eterno.
O meu também.
Eterno.
- Eu sempre o amei. No início como amigo, confidente, como a pessoa que sempre esteve lá quando eu precisei. Era tão natural amá-lo que nunca me passou pela cabeça qual era exatamente o significado desse sentimento. - Parece que já nascemos predestinados a nos amar. Se eu fosse mais longe, diria que sempre acreditei no destino, que as nossas mães tinham que se esbarrar naquela aula de ioga, porque um dia eu ia me casar com essa mulher e daria meu sangue para que ela fosse feliz."


" Quando olho para o rosto dele, esculpido como o de um anjo, para os lábios bem desenhados, agora tudo que eu desejo é apertá-lo e não soltar nunca mais. Eu desejo que a boca dele faça mais que me consolar e que o corpo dele faça mais que me abraçar. Eu desejo que ele seja mais, muito mais que um amigo o meu melhor amigo. Eu desejo me aninhar nele e tomá-lo para mim, e essa nova descoberta me faz ter certeza de que agora eu o amo de um jeito diferente, mais intenso e possessivo. Não sei desde quando, muito menos por que, mas eu sei que o que estou sentindo, seja o que for, não é passageiro."


" - E se eu estragar tudo como sempre? Eu prefiro tê-lo na minha vida de qualquer maneira a não tê-lo mais. Eu nunca suportaria perdê-lo."


" Não suporto pensar em vê-la derramar uma lágrima sequer por mim, sofrer minha ausência e sentir o gosto ruim que a saudade deixa na boca. A saudade é uma maldição, não tem como se livrar dela. Ela invade nosso corpo, nossa mente, adoece tudo, cria raízes e não há remédio no mundo que faça parar de doer. Eu sei. Sinto esse tipo de saudade todos os dias. Minha mãe deixou que ela me assombrasse desde que eu era um garoto."


" Quem vai amá-la como eu a amo? Se contar que sou loucamente apaixonado por ela é a parte mais difícil de estar vivo, deixá-la é com certeza a parte mais difícil de estar morrendo.
  Ninguém é tão bom nisso quanto eu, ninguém nunca vai ser."


" Para azar dela, tenho planos até o Z, porque, quando se é muito bom em consertar alguma coisa - como eu sou bom em consertá-la -, você acaba descobrindo onde está tudo, cada coisa, cada peça, cada gancho, cada gatilho. Se sabe consertar tão bem, você também sabe destruir. Toda moeda tem duas faces, né?"


" Uma coisa pela metade nunca é suficientemente boa. Demorei a descobrir isso."


" Precisa de mim aí? - ele pergunta da porta.
Faço que sim com a cabeça, sem tirar os olhos dos meus pés balançando na água, até que os dele afundem para me fazer companhia. Já estou no segundo cigarro.
- Eu sempre preciso, esse é o problema - revelo, chutando a água. solto a fumaça para o lado oposto. - Acho que preciso de você mais do que preciso de ar para respirar."


" Amanhã de manhã você vai me mandar embora, né? -pergunto, baixinho.
- Vou - ele assente, sem parar de mexer no meu cabelo.
Eu não quero dormir. Não quero que este dia termine e que o amanhã chegue, mas minhas pálpebras de repente ficam pesadas e se fecham lentamente...
- Vou porque não consigo nem imaginar a expressão no seu rosto se eu te contasse o que está rolando. Te conheço como a palma da minha mão e tenho uma boa ideia de como você se sentiria se soubesse. Vai por, estou te fazendo um favor - ele continua falando baixinho, mas ainda estou escutando. - Vou porque não consigo pensar na porra da ideia de você sentir medo de uma coisa que eu não posso matar por você. Mais nada vai estar no meu controle. Nada - frisa, com raiva. - Para alguém obsessivo por controle, isso é a morte, sabia? Eu não vou poder te proteger, não vou poder mais sair correndo atrás de você, Eva. Tem ideia de como eu vou me sentir? O que vai acontecer quando você não me tiver mais para correr e resolver os seus problemas?"



" Por você, para jamis te abandonar
Se lembra quando a gente chegou um dia acreditar que tudo era pra sempre,
sem saber que o pra sempre sempre acaba? Mas nada vai conseguir mudar o que ficou.
Quando penso em alguém só penso em você, e aí então estamos bem...
- CÁSSIA ELLER, '' Por enquanto''


" - Você está tomando a decisão errada. Infelizmente a escolha não é só sua. Você não está mais sozinho no sentimento. Sabe disso, não sabe? - Assinto. - Sempre confiei em você porque achei que fosse o único homem que nunca iria machucá-la. Não me decepcione agora, Gabriel.
- Estou tentando fazer justamente isso, tio."


" - Suba aquela escada. - Aponta, com a voz embargada, lendo meus pensamentos. - E conte a verdade, independente do que seja, olhando nos olhos dela. A Eva precisa escutar de você, e aí sim vocês sentam e conversam sobre a amizade e o amor que sentem um pelo outro."


" Mais que depressa, meus dedos ágeis encontram o papel.
 De um lado são meus pedidos de Ano-Novo, a mesma carta que joguei no mar há poucos dias. Como ele conseguiu pegá-la? " O cara tem que me amar (por favor). Tem que abrir mão de alguma coisa por mim (só para ter certeza de que ele me ama mesmo). E, por último e mais importante, não pode morrer como a minha mãe fez!" Três itens grifados. No verso tem um recado, na sua letra de forma bonitinha.
  Lembra disso? O mar devolveu para mim.
  Ah, Eva, como eu te amo.
  Acho até que te amo mais que a mim mesmo, por isso estou abrindo mão de tudo por você.
  Quer prova de amor mais dolorida e significativa?
  Mas infelizmente o seu último pedido eu não posso atender.
  Isso diz tudo, isso diz que eu não sou o cara que vai fazer você feliz. Eu sou o outro cara,
  aquele que talvez vá morrer, não cumpro mais todos os itens da sua lista.
  Eu vou te machucar, entendeu? Não quero te machucar, mas se no fim você quiser ficar,
  eu sei que não posso te impedir, porque você merece ao menos isso de mim:
  E aí? Quer ficar com o cara que está doente ou entrar em um avião com o CEO que vai
  te dar uma bela vida? Hospital ou aeroporto? Por favor, escolha ele. Atravesse a rua e
  entre no carro certo. Nunca vou me ressentir de você por isso, eu juro.
  Pense em você.
 Com amor, Gabriel."


" Por que você fez isso por mim hoje?
- pergunto, desconfiada, enfiando o papel no sutiã quando ela me devolve.
- Porque hoje você precisa de uma mãe - ela responde, firme.
- E que conselho uma mãe me daria? - Sinto as lágrimas rolarem.
- Escolha com o coração, independente de quanto machuque, porque uma mãe de verdade fica a postos com o band-aid para consertar os estragos - ela diz, afagando meu rosto."


" Sei que está pensando na mãe. é aqui que percebo que não sou eu quem está amando o suficiente. Estou amando do mesmo jeito que sempre amei. Foi o amor dela que mudou, que se tornou mais forte quando precisei. Eva finalmente está amando alguém o suficiente. E nem é ela mesma, sou eu. Tem ideia do que é isso? Sou eu."


" O lado bom de amá-la? Nunca vou me sentir entediando. Nunca vou deixar de rir nos momentos mais impróprios; esses são os melhores. Nunca, jamais vou ter motivos para não acordar sorrindo, mesmo que seja para um dia ruim. Ela é o melhor motivo de todos. algumas pessoas são como remédios: o simples fato de amá-las ameniza qualquer dor."


" É aqui que eu entendo, finalmente entendo a realidade. Ele só tem a mim.
  E está tudo bem, porque eu dou conta de cuidar dele sozinha.
  Eu dou.
  Não queira saber o tamanho do meu ódio quando Gabriel afunda o rosto no meu cabelo para se esconder depois que desliga, me apertando forte, tão forte que quase me sufoca. Quando sinto seu peito subir e descer mais rápido, tento me afastar para olhar para ele, mas ele não permite, não me solta, não quer que o veja chorar.
  Nunca o vi chorar assim... Bom, só quando perdeu a mãe."


" Tem dias em que tudo o que mais queremos ou quem mais amamos é o que mais nos machuca."


" Alguém para ficar no meu lugar se eu brilhar
 Depois de tudo, eu vou estar aqui,
vou correr por suas veias e fazer
parte de você, estarei no ar que você
respira e eme tudo que você tocar,
estarei nele, em cada pedaço dele
feito de mim que deixo para você possa amar.
- Henrieth Pereira"


" Um dia o papai vai entender que eu só vou conseguir ter a vida que ele tanto deseja  porque você vai garantir que eu queira abrir os olhos de manhã. Um dia o papai vai entender  como você é importante para mim e que, no fundo, também é aquilo que ele mais quer, algo que me dê um propósito para continuar, se ele partir. Eu acho que vou querer morre, todos os dias, o tempo todo e para sempre, mas te amo demais para ser como a minha mãe, para entrara no mar e acabar com a minha dor sem pensar em você. Vou ser uma mãe bem melhor, que nem as suas duas outras vovós. Se isso inclui respirar, arrumar um trabalho que eu ame e ser a melhor e mais alegre mãe do mundo, nem que seja só por fora, é o que vou fazer. Vou dar o meu melhor por você, exatamente como estou fazendo pelo papai - diz, emocionada." ( Gabriel ouvindo Eva)


"  Eu o amo só por saber que ainda vou estar cuidado dela por intermédio das mãozinhas dele, se não puder mais estar aqui. Uma parte de mim sempre vai estar com ela, se preocupar com ela e amá-la. De uma maneira muito bonita, o nosso amor vai durar para sempre...
Não só hoje. Não só desta vez. Sempre. O Fê é nosso sempre." (Gabriel)


" No instante em que a vejo parada no início do corredor, me olhando como se eu fosse um sonho, o mundo desaparece. Minha garota não olha para ninguém além de mim enquanto vem ao meu encontro. E eu? Eu não consigo tirar os olhos dela, porque também estou olhando para um sonho. Embora estejamos cercados de pessoas, este momento é apenas nosso. Seu olhar ilumina minha alma enquanto o meu percorre cada pedacinho dela, lhe dizendo como está perfeita, do cabelo, agora natural, cor de avelã, preso em um coque frouxo cheio de fios soltos, ao véu que sai dele e se arrasta por um logo caminho às suas costas, lhe conferindo um ar inocente e sonhador, dos lábios pintados de rosa-pálido que sorriem descaradamente para mim até o bebê escondido na barriga dela. 
  Isso é muito emocionante e eu sou um ridículo. Óbvio que estou mesmo quase chorando." (Gabriel sobre Eva)


" Em todos os momentos, fui eu que segurei o guidão da sua vida. 
  Até quando não pude mais, até o momento em que precisei que ela se erguesse sozinha, porque eu não podia segurar mais nem o meu, e ela assumiu a nossa vida sem pensar duas vezes, com uma força que eu não conhecia. 
  Naquela curta caminhada eu revivo todos os nossos momentos, os bons, os ruins e os que nos permitiram chegar aqui esta noite. Revivo os últimos meses e penso em coo minha garota cresceu, tudo o que ela passou para se transformar nesta mulher maravilhosa que está quase chegando até mim." ( Gabriel sobre Eva)


" Desde aquele beijo na chuva, houve uma sequência de atitudes seus que me desarmaram e serviram para me mostrar que, ao contrário do que pensávamos, meu amor não era maior ou mesmo diferente daquele que ela sentia. Eva só não tinha mostrado todo o potencial do dela ainda. Acho que nem minha garota sabia que era capaz de tanto, e me odeio por ter sequer desconfiado dela, porque nunca houve motivos. Do momento em que ela abriu minha mochila e saiu correndo de casa com aqueles exames abraçados contra o peito, ela correu para mim. Direto para mim. 
  Eva nunca hesitou, nem uma vez, nem por um segundo. " (Gabriel sobre Eva)



" Ela não soltou da minha mãe nem nos piores dias, e nunca escutei uma queixa sequer sobre nada, absolutamente nada, nem um " Nossa, hoje estou cansada". Pelo contrário, em todos eles ela escolheu me fazer gargalhar até que dormíssemos cansados de tanto rir, em vez de me esperar dormir dopado de dor para chorar escondida até cansar. 
  Ela é a garota que senta no chão do altar por mim.
  Tem ideia do que é isso?
  É a minha garota." (Gabriel sobre Eva)


" Eu Descobri que te amava no instante em que descobri que do seu lado ninguém nunca iria me machucar, e se machucasse os seus olhos me fariam sarar. Era um amor egoísta, porque eu te queria para me salvar, e hoje tudo o que eu mais queria é que os meus olhos tivessem o mesmo poder e pudessem salvar você." ( Eva sobre Gabriel)


" - Então, eu prometo mais uma vez, agora diante de Deus, dos nossos amigos e familiares, te amar da maneira certa por todos os dias da minha vida, pelo tempo que ela durar e mesmo depois, porque eu duvido que nosso amor tenha nascido aqui, assim como duvido que acabe aqui. Nós viemos com ele de algum lugar já enraizado dentro de nós, e isso nunca vai mudar." ( Eva sobre Gabriel)


" Vivemos os melhores trinta anos que podíamos e ficamos juntos no tempo certo. Você não deve ter nenhum arrependimento, porque, se eu olhar para trás, não tem um dos meus momentos ruins em que você não tenha feito até o impossível para me fazer rir. Em muitas dessas vezes você não estava bem, como na primeira vez ou nos últimos dez meses, mas esqueceu disso assim que precisei de você. Você me salva um pouco mais a cada risada que arranca de mim, torna minha vida mais doce e qualquer coisa suportável apenas por existir." (Gabriel sobre Eva)


"Hoje minha garota não merece me perder, não mesmo, mas a vida não é feita de merecimentos. Ela é destinada e escrita, predestinada. Só Deus sabe o que escreveu para nós dois, e neste momento tudo o que importa é que, quando a música termina, ela finalmente, finalmente me beija." (Gabriel sobre Eva)


" - Você não pode mais me pedir isso. Não pode mais ror comigo a lugar nenhum - sussurro de volta, espalmando a mão no bebê dançando dentro da sua barriga - , mas vou te fazer mais uma promessa antes de enfrentarmos o fim. A mais importante delas. - Recuo, quero olhar nos seus olhos. - Se eu for primeiro, prometo esperar por você do outro lado. - Sorrio provocativamente, acredito mesmo nisso, e é o bastante para que um sorriso enorme brote no seu rosto em vez de um punhado de lágrimas, porque ela acredita também. É o suficiente para ela me agarrar, assentindo." 


" As estrelas, Fefê, são as pessoas que você ama e que vão embora antes de você. Elas são um consolo para quem fica - Gabriel continua, passado o indicador no rostinho dele, em cada centímetro. Meus olhos se enchem de lágrimas. Só agora entendi por que minha mãe me mandou olhar para cima. Minha mãe queria que eu procurasse por ela." 


" Estou agradecendo silenciosamente pela chance de lutar ao seu lado, pela chance de poder escolher ficar com você. Eu finalmente escolhi certo, escolhi você: a pessoa que sempre me escolheu. 
  Eu te amo o suficiente e da maneira certa, como vou fazer todos os dias da minha vida, porque as estrelas moram muito longe e saudade não é o bastante para trazer ninguém de volta. Nós temos que amar, valorizar e nos desprender completamente dos nossos egoísmos enquanto elas ainda estão entre nós. Enquanto ainda podem ver que são amadas o suficiente." 


" Se um dia se apaixonar por alguém, te, que ter coragem e contar, pois o tempo passa muito rápido." (Gabriel para Fefê)


" - Obrigado por ter me amado o suficiente, não só para ficar ao meu lado, mas também por nunca ter parado de me dar motivos para querer continuar lutado pela vida." 






segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Resenha | Deadfall - A caçada - Anna Carey - Livro 2





Autor: Anna Carey
Editora: V & R Editoras
Páginas: 224
Avaliação:
      


ATENÇÃO : O CONTEÚDO ABAIXO CONTÉM SPOILERS.

Ufa! Após cinco tentativas, enfim li esse livro!

Para aqueles que leram minha resenha de Black bird, primeiro livro da duologia, disse que Deadfall só mereceria minhas cinco estrelas se preenchesse as lacunas que ficaram abertas, mantendo o ritmo eletrizante do volume um. Apesar de o livro possuir ambos, foi difícil embarcar na leitura de primeira, e agora que finalmente a fiz, fiquei decepcionada com seu final prematuro e repentino.
Em Deadfall, Sunny encontra Rafe, o rapaz de seus sonhos. De maneira quase natural seus instintos a fazem acreditar nele. Rafe demonstra preocupação, e revela muitos fatos sobre ela ( coisas que apenas Sunny teria como saber). O rapaz também fala os ocorridos da ilha e enfim diz o nome verdadeiro dela: Lena Marcus. Juntos eles seguem para Nova York, para encontrar outros alvos dessa caçada mortal.

O ritmo da narrativa se mantém dinâmico, acelerado e cheio de ação. Conhecemos outros alvos e como a organização por trás de tudo isso a GAA influência na vida de cada um deles. Mas, quando tudo começa a desandar? Acredito que com a chegada de Ben. Sim, o traidor. Em muitos livros, o surgimento de um triângulo amoroso funciona bem, porém esse não é o caso de Deadfall. Isso porque Rafe ganha destaque na narrativa, tendo um envolvimento muito maior com Lena. Há um laço de amizade e companheirismo, duas pessoas que estão passando pelas mesmas coisas e lutando para combatê-las. Então, quando Ben aparece na trama é apenas algo circunstancial por conta dos acontecimentos do livro anterior e não por continuar tendo um laço emocional com a personagem principal, que tem diversos outros conflitos a serem resolvidos. 

" - Estávamos juntos na ilha.
- Isso eu sei. - Você não menciona os sonhos, que agora sabe que são lembranças, voltando aos poucos desde acordou. O rosto dele sobre o seu, a voz em seu ouvido, o corpo junto ao seu. Já sabia das duas pintas bem abaixo do olho direito. O arranhão na testa, que agora já está desaparecendo e não passa de uma marca rosada sob a linha do cabelo. Você estava com ele. Estava apaixonada por ele." - Pág. 12

Sim, o livro explica todas as lacunas abertas com riqueza de detalhes. Quando a GAA é inserida da narrativa há um madurecimento muito rápido da personagem. Vemos o quanto ela é corajosa, ágil e inteligente e como a organização conseguiu trazer tantas pessoas para esta caçada. É empolgante, ver alvos unidos, sendo Lena o foco central do grupo. Neste sentido a autora consegue novamente entreter o leitor, gerando curiosidade. Apesar de gostar da duologia pelos elementos que foram apresentados, classifiquei este livro com três estrelas, porque o final não me agradou. 

De volta a ilha...
Levar Lena e Rafe para ilha nas páginas finais foi uma bela referência ao passado deles, além de contribuir para que o leitor se sinta conectado a caçada e compreenda melhor os fatos, deixando-o ainda mais envolvido com ambos. Porém isso não dura muito, já que Rafe morre inesperadamente e desnecessariamente. Se a intenção era gerar impacto no meu caso, gerou frustração. E a coisa piora, pela forma como Lena enfim consegue retornar a cidade e sair da ilha... Ficou parecendo que todo seu sacrifício indo até Richard foi em vão. Enfim, narrativa boa, mas com um final que deixa a desejar.


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Notícias | Divulgado trailer oficial de Shadowhunters 3B final



Por essa eu não esperava!

Ontem (31/01) a Freeform divulgou em suas redes sociais o trailer da segunda parte final de Shadowhunters que retorna a dia 25 de Fevereiro no canal e dia 26 de Fevereiro ao Netflix trazendo 10 episódios completando a 3°Temporada e um episódio final de 2 horas. Muito se especulava que após o cancelamento a série, o fato poderia comprometer o andamento da mesma deixando todos os fatos corridos, porém ao apresentarem este no trailer, ficou claro que os produtores conseguiram explorar o que tinham em mãos. 

Atenção o texto abaixo contém spoilers.

Fim do mistério!

Ao final da 3A, tudo indicava que Clare havia morrido, mas como podemos ver no trailer abaixo ela está vivíssima. E Jonathan, agora interpretado pela ator Luke Baines, está de volta ainda mais perverso. Nos livros Jonathan fica interligado a Jace, como vimos no final da 3A, Clare ocupara essa vaga, tendo esse fato claramente reforçado no trailer abaixo. 

Sim, Sizzy finalmente vai acontecer!

Os fãs já sabiam que Sizzy estava chegando assim que a terceira temporada foi anunciada. Com o cancelamento da série era evidente a preocupação com o amadurecimento desse casal, porém mesmo com poucos episódios parece que teremos muitas  cenas Sizzy para apreciar, algumas até muito emocionais. Quem está preparado?

Malec, do amor a dor! 

Magnus perdeu seus poderes ao salvar Jace dos encantos de Lilith e agora sem magia terá que conviver com essa escolha, certo? O trailer mostra que não por muito tempo. Logo no início Magnus diz : "É bom está de volta", então há luta e dança com seu amado, até tudo se transformar. Na sequência vemos um Alec preocupado dizendo que não vai perdê-lo que simplesmente não pode perdê-lo. Alec está triste, chorando com os amigos o apoiando na dor, depois de cenas com Magnus  terrivelmente machucado, já que a magia azul é uma clara referência a Catarina Loss que tenta ajudá-lo. Nem preciso dizer, que será altamente emocional ver essas cenas, né? Mal posso esperar!



Jace, não aceita derrotas!

Quando o assunto é Jace podemos esperar tudo, ele é simplesmente imprevisível quando deseja algo e se é pelo amor da sua vida, ele vai lutar com unhas e dentes para obtê-lo de volta! Ele está implacável, insano no trailer, amei isso!

Maia, vai assume a alcateia?

Sem o plot "romance" com Simon, Maia aparece assumindo uma posição de destaque no novo trailer. Luke mostra seu desejo em vê-la como a líder, além de afirmar o potencial dela par isso. Será? Em breve descobriremos.

Irmão Zachariah está de volta! 

Sim ele retorna a 3B e falando! Alguém sentiu a referência a "Cidade do Fogo Celestial"? Eu já!

Gostou do conteúdo acima? Então, confira o trailer na íntegra e tire suas conclusões. Deixe seu comentário! Shadowhunters volta dia 26 de Fevereiro na Netflix. 


Atividades do Blog