sexta-feira, 19 de outubro de 2018

O que esperar de Revenge? #FicaADica



Este mês a Netflix decidiu tirar algumas séries muito boas de seu catálogo, então como ainda não tinha assistido muitas delas, tirei um tempinho para marotonar séries (o que explica meu atraso nas leituras rs). Uma das minhas escolhas foi a série Revenge, como seu próprio título sugere o tema principal é a vingança. A mesma também apresenta romance, mistério, suspense e intrigas, resumindo um verdadeiro jogo de rivalidades, envolvente, cheio de surpresas e emoções. 

  
Criada por Mike Kelley, a 1° temporada de Revenge estreou em 21 de Setembro de 2011, sendo formada por 4 temporadas, com término em 29 de abril de 2015 pelo canal ABC. As temporadas possuem 22 episódios, e sua última temporada 23 episódios. 


Já é fã de Revenge? Então essa é uma excelente oportunidade de relembrar os melhores momentos da série com o Paraíso dos Livros! Mas se assim como eu, sempre via os comerciais globais dessa série, deixando-o (a) curioso (a), sem saber se valia ou não à pena, então esse post é para você! Leia e tire suas conclusões.


Sinopse

Emily Thorne, cujo verdadeiro nome é Amanda Clarke, volta aos Hamptons para se vingar das pessoas que destruíram sua família e causaram a morte de seu pai. Quando Amanda era criança seu pai foi preso acusado injustamente de terrorismo, sendo julgado e condenado a prisão, onde acabou morrendo. Amanda sente que teve a vida destruída por essas pessoas que armaram contra seu pai, fazendo com que ela passasse sua infância na detenção juvenil. Quando completou 18 anos, ela foi solta e recebeu a herança de seu pai, além de uma caixa contendo detalhes sobre as pessoas que destruíram a vida deles, assim ela muda seu nome e resolve se vingar de cada um deles.



Atenção o conteúdo abaixo contém spoilers.

1° Temporada


Emily, é o tipo de protagonista que ganha seus telespectadores justamente por mostrar dois pesos e duas medidas em tela. Por vezes doce, e outras um tanto amarga, ela executa seu plano, atingindo suas vítimas a cada episódio. Assim, compreendemos como cada pessoa contribuiu para a prisão de seu pai e ficamos em dúvida, se a protagonista está de fato certa de suas ações, quando a trama exige que Emily não se deixe influenciar por seus sentimentos ocultos. 


Emily Thorne, que na verdade é Amanda Clarke é focada, determinada, e não permite que nada, nem ninguém atrapalhe seus objetivos, porém seu envolvimento com Daniel Grayson (alguém que não estava nos seus planos), filho da sua maior rival Victoria Grayson (mulher que seu pai teve um tórrido envolvimento no passado e juga ser a principal responsável pelos trágicos acontecimentos) pode levá-la a falhar em sua missão. Além disso, Nolan Ross (amigo e confidente de David Clarke, pai de Amanda) torna-se seu principal aliado, protegendo-a e torcendo  pela felicidade dela, colocando em seu caminho Jack Porter, alguém do passado da jovem que confundi ainda mais seu coração. 

Particularmente, gosto muito de tramas envolventes que consegue ligar todos os acontecimentos a um só fato, Revenge tem este padrão e fica difícil abandonar a série após o primeiro episódio. A 1° Temporada tem como seu grande foco a descoberta de Amanda por pistas e consequências que levaram seu pai a prisão, porém seu final, deixa muitas possibilidades abertas, quando a protagonista finalmente percebe que os mesmos causadores da conspiração contra seu pai, também podem, ser os culpados por sua morte. Outra coisa que me cativa em séries, são amizades marcantes, Emily e Nolan são a dupla perfeita! Estou apaixonada por esses dois! E o que posso falar dos minutos finais? Victoria Grayson realmente morreu? Por essa eu não esperava! Enfim, vamos a próxima temporada rs! 



2° Temporada


Na segunda temporada a família Glayson, não é a única ameaça para Amanda Clarke. Após desbloquear memórias passadas, Emily descobre que sua mãe ainda está viva. Mas o que seria uma boa notícia, na verdade é uma péssima, já que ela tentou matar a própria filha na infância, levando David Clarke mentir para protegê-la. A medida que o enredo avança é revelado que a família Glayson na verdade sempre foi induzida a seguir ordens de uma organização conspiratória chamada Iniciativa. Esta temporada foi marcada por grandes momentos, tragédias, revelações e reviravoltas.Uma verdadeira montanha russa de emoções. Com uma trama muito mais dinâmica e explosiva, Revenge, consegue evoluir e surpreender com o desenvolvimento de seus personagens na segunda temporada.

Há um aprofundamento na história de Emily Thorne, o nascimento do pequeno Carl David Porter de maneira inesperada após um chá de bebê sangrento, com a suposta Amanda jogada na entrada da casa dos Grayson. Então temos o casamento de Amanda e Jack Porter, finalizando este arco com a morte da verdadeira Emily Thorne nos braços da verdadeira Amanda Clarke (um dos momentos mais emocionantes). Após enfrentarem muitos problemas, os irmãos Porter são separados drasticamente nesta temporada. Logo após Declan Porter descobrir que Chorlotte Grayson está grávida, ele cai em uma armadilha que seria para Jack, sendo atingido por uma bomba na Grayson Global e morrendo no hospital (muito, muito triste).

A amizade de Nolan e Emily continua intensa, porém na maior parte da temporada ambos estão muito ocupados com seus amantes, diminuído o tempo de tela dos dois. Durante seu treinamento com Takeda, Emily conseguiu um forte aliado para sua causa, o enigmático Aiden Mathis. Juntos Emily e Aiden fazem o castelo dos poderosos Grayson desabar a cada episódio, mostrando a força desse caliente casal na trama. Além de explosivas cenas de ciúmes, já que Emily reata seu noivado com Daniel para se reaproximar dos Grayson. Já Nolan (gente como ele sofre nessa temporada, que dó) se apaixona perdidamente por Padma Lahari, que acaba morta pela iniciativa. Tudo por conta do programa que criou "Carrion"  capaz de desligar toda fonte elétrica da cidade, que ao ser usado pela iniciativa, Nolan leva a culpa, sendo incriminado como terrorista, isso soa familiar? Pois é, a história se repete.

Pensa que isso foi tudo? Ainda temos Daniel Grayson dando um golpe engenhoso em seu pai, assumindo o lugar de chefe majoritário da Glayson Global. A rainha Victória volta a trama vivíssima, com revelações bombásticas de seu passado, incluído um filho abandonado aos 17 anos, chamado Patrick. O cara-de-pau do Corand Grayson assumindo o governo as custas de Jack Porter desmerecidamente. E um Jack Vingativo pronto para matá-lo quando Emily o impede, revelando seu maior segredo, enfim ela conta que é Amanda Clarke. Ufa! Foi ou não uma grande temporada? Eu quero mais...Próxima! 



3° Temporada




Erros e falhas marcam a 3° Temporada de Revenge.

Agora que Jack Porter sabe a verdadeira identidade de Emily Thorne, tudo que ele deseja é se afastar dela. Nolan é inocentado de sua sentença e decide se afastar da tecnologia, até alguém chamado Patrick Osbourne entrar no seu radar. Victoria apresenta seu primogênito Patrick, aos Grayson que não aceitam bem a notícia. Charlottte perde o bebê e se torna um verdadeiro empecilho na vida de Emily (ou seja a pessoa mais chata e inconveniente da série). Um amor do passado volta, deixando Daniel completamente envolvido, afetando seu noivado com Emily que fica por um fio. Uma corrida contra o tempo se inicia, já que Jack exige que Emily finalize sua vingança, ameaçando revelar seu segredo a todos.

Amanda está impulsiva, agindo de maneira menos racional, esse outro lado da protagonista não me conquistou totalmente. Algumas vezes ela se arrepende, volta atrás de suas decisões e mostra que não se sente plenamente confiante, mas precisa continuar sua vingança. Então seus engenhosos planos saem do controle e as coisas começam a dar errado. Na 3°temporada Amanda está fora de sua zona de conforto, passando a mensagem, que a personagem está constantemente em um conflito interior. Na segunda parte da temporada tive a sensação em diversos episódios que a trama estava correndo atrás de algo, por conta de suas grandes reviravoltas. Se nas temporadas anteriores estes elementos surpresas  contribuíram para melhor andamento e desenvolvimento, aqui pareceu  que " já que isso não funcionou, vamos tentar de outro modo". Tudo aconteceu rapidamente sem muitos intervalos, fato em cima de fato.

Apesar dessa forma ousada dos produtores conduzir o enredo, ainda sim, houve momentos memoráveis nesta  3° temporada. Depois de "infinitos" obstáculos Emily e Daniel se casam. Durante a viagem de navio onde Emily deseja incriminar Victoria por sua suposta morte, como sua vingança final no dia 8 de Agosto (melhor referência da história, pois simboliza o infinito vezes infinito, tão mencionado pela protagonista) seu plano falha completamente e o inesperado acontece, Daniel embrigado ouve a revelação de sua esposa, dizendo  que inventou a gravidez para força-lo ao matrimônio. Conduzido pelo ódio, ele dá dois tiros em Emily, que cai fortemente no mar ( um dos melhores momentos, ótima cena!). Após este fato, Emily perde a memória por curtíssimo tempo (situação que poderia se melhor explorada), descobre que nunca mais poderá ser mãe e resolve punir Daniel, não abrindo mão de seus direitos como esposa (esse jogo de gato e rato foi um tanto cansativo de assistir).

Porém, o amadurecimento profissional de Daniel, graças a sua amiga Margaux LeMarchal foi bem interessante, ele definitivamente deixou de ser o "filhinho da mamãe" e assumiu responsabilidades. Já Vitoria mostrou que mesmo um coração frio ainda possui emoções verdadeiras e que existe amor em seu peito. Seu relacionamento com o filho Patrick é forte e intenso, enfrentando qualquer impedimento que possa separá-os ( gostei muito deles juntos, que dupla!). Falando em Patrick, o que foi seu envolvimento com Nolan Ross nesta temporada? Mesmo que o moço não seja o melhor partido para Nolan, devo admitir que estava torcendo para que eles encontrassem uma maneira de se encaixarem e permanecessem juntos... Mas ainda não foi dessa vez, né Nolan? Bem, que Patrick poderia voltar...(rs). E não posso deixar de mencionar como foi estranho Victoria se apaixonar repentinamente por Pascal LeMarchal (pai de Margaux, ex namorado de adolescência de Victoria), ficando noiva e perdendo-o quando Conrad ( ainda seu atual esposo) o mata, empurrando contra a elise de um helicóptero ( Me pergunto aonde foi parar todo o amor que Victotia possui por David Clarke? Desapareceu tão facilmente, que estranho!)

Enfim, a 3° temporada deixa claro que a jornada de Amanda Clarke ainda está longe de acabar. Ela conseguiu fazer Conrad confessar sua culpa para Charlotte (após sequestrar sua irmã, o que foi super tenso, por sinal) fazendo o caso de David Clarke ser reaberto, levando Corand a julgamento e condenamento. Pena que no processo, Aiden sofreu as consequências, sendo morto por Victoria Grayson, que fez questão de deixar o corpo na casa de Emily. Para desespero da protagonista o dia da inocência de seu pai tornou-se seu pesadelo ao ver uma das pessoas que mais amava morta, reacendendo sua sede de vingança, que ao ser confrontada por sua rival, Emily interna Victória a força em uma clinica psiquiatra. Enquanto Jack Porter é elevando pela polícia ao ser acusado por Charlotte por seu sequestro (Senhor, mais que menina irritante!), Corand consegue fugir da prisão, tendo seu merecido final, ao ser morto por David  Clarke, que está vivíssimo! Mesmo que a 3° Temporada tenha  sido um tanto morna, o final superou as expectativas. Pontos para Revenge, não espera por isso! Próxima!


4° Temporada




A vingança enfim chega ao final! A última temporada de Revenge, não decepciona, trazendo muitas surpresas com um término impactante! 

Os Grayson finalmente caíram,estão falidos e derrotados. Corand está morto, e Daniel e Charlotte acreditam que Victoria os abandonou, mas na verdade a rainha do gelo ficou internada por seis meses na psiquiatria. Com a ajuda de suas colegas de internato, Victoria enfim se liberta e aparece na sua antiga residência, que agora é de Emily para lhe jurar vingança. E sua promessa não é vá, David Clarke, vai atrás Victoria a procura de esclarecimentos. Mais uma vez, ela usa de suas artimanhas para convencê-lo que sempre foi o amor de sua vida e nunca o traiu. Iludido por falsas palavras, David acredita.

O jogo virou, Victoria tem o poder da vingança nesta temporada, mostrando que seu veneno é ainda mais perigoso do que de Emily. Ela manipula praticamente todos ao seu redor. Primeiro usa David para atingir Emily, já que ele acredita que sua filha está morta e que seu melhor amigo Nolan o traiu, não cumpriu sua palavra, não entregando a herança de Amanda, além de envenenar sua mente contra Emily Thorne. Depois, é a vez de Charlotte (que continua sendo a personagem mais chata da série). Emily revela que é Amanda Clark para irmã, que não aceita bem, chamado Emily para uma conversa no bar de Jack, começando um incêndio para matá-la. Até parece que vai acontecer uma reconciliação entre elas, quando Emily apaga os rastros de um assassinato que Charlotte comete, mas essa esperança não se mantém, afinal Victoria já tinha revelado a Charlotte que David está vivo, usando-a para amolecer o coração de David, dizendo ela foi à responsável de sua liberdade, ou seja, novamente mãe e filhas estão unidas para o mal. 

Vale lembrar, que Jack Porter virou policial, o que foi uma saída muito eficaz para conectá-lo ainda mais a Emily e a todos os acontecimentos importantes nesta última temporada, deixando-o em clara evidência durante todos os episódios. Algo similar ocorre com Daniel. Apesar de não ter tanto foco quando Jack, com a falência, o personagem tem um amadurecimento de caráter, mostrando arrependimento, buscando restauração por suas mentiras. Apaixonando-se por Margaux que está grávida, prometendo comprometimento para construírem uma família de verdade. Ele também tem uma conversa de coração para coração com Emily após descobrir que ela é Amanda Clarke em um elevador (Amei tanto este momento!) e morrendo inesperadamente como um verdadeiro herói, nos braços de Emily, com ela dizendo que não foi mentira o que sentiram um pelo outro durante todas as temporadas, salvando a vida dela ( ahh foi tão triste e comovente!). Enfim, amarei Daniel forever, após essa cena!

E o veneno não é espalhado apenas por Victoria nesta temporada... Vamos a terceira pessoa mais manipulada por essa grande vilã, Margaux LeMarchal! Apaixonada, enfurecida com a morte suspeita de Daniel (seu grande amor) ela atribui todas as perdas que teve a Emily Thorne. Cega por justiça, não mede esforços para incriminar Emily. Perdendo até mesmo seu bebê ao não aceitar a proposta de paz de Emy, então seu único objetivo é ajudar Victória até o final, para seu eterno azar! E assim chegamos ao impactante final da série, com a última pessoa completamente obcecada por Victoria, que teve um papel crucial para o fechamento da trama, Louise Ellis!

Incluir personagens em uma série como Revenge,que tem cada episódio planejado nos mínimos detalhes é realmente uma jogada arriscada. Porém tanto Ben Hunter (parceiro de Jack, que se apaixona por Emily e acaba sendo sacrificado nos episódios finais por conta de investigação, para libertá-la), quanto Louise Ellis, conquistam lugares significativos no enredo. Louise é linda, decidida, super divertida, louca, tem inúmeros problemas familiares e possui um coração maior do que ela. Qualidades e defeitos que a deixam no meio do fogo cruzado de Emily e Victoria. Seu casamento de conveniência com Nolan Ross proporciona ao telespectador momentos divertidos e dramáticos. E sua obsessão por Victoria acaba levando-a ajudar Emily em um momento decisivo, revelando o paradeiro da vilã Victoria que todos acreditam estar morta. 

Mas como chegamos a este final? 
Victoria forja a própria morte, usando o corpo de sua falecida mãe, para que todos acreditem que ela morreu queimada na explosão da sua antiga mansão Grayson. Acusada e condenada pelo crime, Emily é enviada para prisão e Nolan a ajuda a fugir. Livre, Emily e Jack buscam provas sobre o paradeiro de Victoria e descobrem o local onde Ben Hunter foi morto. Emily fala sobre os motivos que a levaram a vingança e como sempre se sentiu segura com Jack. Jack conforta Emily e enfim eles se entregam a paixão e têm sua primeira vez juntos. Disfarçada Emily vai atrás de mais provas. Jack volta, não encontra Emily e durante um confronto com a assassina de Hunter é gravemente atingindo. Emily visita Jack no hospital, onde jura que irá matar Victoria para Nolan. Louise aparece e conduz Emily até o paradeiro de Victoria Grayson. Se sentido culpada por ajudar Victoria em seu plano de fuga e pela morte de Ben, Margaux resolve se entregar a policia. No confronto final, Emily está com Victoria em sua mira, em um local repleto de câmeras que revelaram ao mundo o acontecimento, quando David Clarke atira, matando sua amada para salvar a filha. Amanda se desespera, se distraído tempo suficiente para Victoria dar um tiro certeiro no coração de Emily em seu suspiro final. 

Isso é o que chamo de ótimo final! Se terminasse aqui já estaria excelente, seria justo por todo o contexto exibido, mas ainda conseguiram melhorá-lo em uma cena super emocional com David declarado seu amor pela filha, morrendo no balanço da sua antiga casa por conta do câncer. Amanda, visitando seu túmulo e os dos Grayson dizendo algo memorável para o encerramento da série:


“Ao traçar o caminho da vingança, devemos cavar duas covas... a segunda era para ser minha, mas eu fui salva pelo amor infinito do meu pai. Agora eu sei que a vingança traz apenas a escuridão. Eu não consegui ver a luz até seguir o conselho do meu pai, perdoar.” 

Emily, enfim encontra a paz para seguir a diante. Casa-se com Jack, declara seu amor. Consciente que a vingança tem marcas profundas e que nunca a esquecerá. Principalmente por conta de um sonho muito real, que sempre a assombra, sobre o transplante que recebeu com a autorização de Charlotte, salvando sua vida. Talvez já estivesse escrito afinal, Victoria ser tão compatível, a ponto de continuar vivendo dentro de seu próprio coração. 

Muito, muito bom! Vou sentir saudades! #RevengeForever #RecomendoEspero que tenham gostado da retrospectiva de Revenge! Quer ler aqui no Paraíso dos Livros a retrospectivas se suas séries favoritas? Deixe um comentário com sua indicação.

Até a próxima, leitores!



quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Notícia | Morre a escritora espiritualista Zibia Gasparetto, aos 92 anos




Morreu nesta quarta-feira a escritora de livros de temática espírita Zibia Gasparetto, aos 92 anos. A informação foi compartilhada pela editora Vida & Consciência em seu site e página no Facebook. A editora foi fundada por Zibia em 1989 com seus filhos Luiz Antonio e Silvana Gasparetto.

“Hoje, o astral recebe com amor uma de suas representantes na Terra”, diz a mensagem publicada no site da editora. “Zibia Gasparetto, 92 anos, completou hoje sua missão entre nós e parte para uma nova etapa ao lado de seus guias espirituais, deixando uma legião de fãs, amigos e familiares, que foram tocadas por sua graça, delicadeza e por suas palavras sábias.”

Zibia publicou 58 obras e vendeu mais de 18 milhões de exemplares. A escritora e médium lançou títulos como O Matuto e Laços Eternos. Nascida em Campinas, interior de São Paulo, Zibia afirmava ter desenvolvido a mediunidade aos 22 anos. Dez anos depois, lançou o seu primeiro livro, O Amor Venceu, psicografado do espírito Lucius.

Fonte de Notícia: MSN Entretenimento

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Resenha | Como tatuagem - Walter Tierno



Autor: Walter Tierno
Editora: Verus Editora
Páginas: 308
Avaliação:
     


Dois dramas unidos por uma história de amor e superação.

Atur é um homem rico, egoísta, que sempre teve tudo que o dinheiro poderia lhe proporcionar. Faz parte de uma família desestruturada, é machista e não possuí nenhum respeito pelas mulheres, tratando-as como objeto de seu prazer, de forma descartável. Até que um grave acidente põe um fim a sua vida promíscua, obrigando-o a enxergar o mundo além de seus preconceitos e avaliações. 

Já Lúcia, sempre teve que batalhar muito para realizar seus objetivos, ela é fisioterapeuta e vem de família humilde. Portadora de vitiligo desde sua infância, trava diariamente um conflito tanto pessoal quanto profissional para enfrentar o preconceito das pessoas a sua volta. Sua mãe (mamuska), constantemente a estimula a lutar pelo que acredita, não absorvendo a ignorância alheia para dentro de si. Porém há marcas que não foram esquecidas, fazendo Lúcia enfrentar seus medos ocultos todos os dias, agravando a situação após a morte de sua força maior e companheira, sua mãe. 

Em narrativa alternada o livro apresenta duas histórias totalmente opostas, porém com uma conexão: o passado. Como cada capítulo é narrado intercalado entre um personagem e outro, mal via a hora de eles se encontrarem. E sabe aquele velho ditado que diz: "Quem bate esquece, mas quem apanha não?" essa é uma excelente frase para representar o enredo de Artur e Lúcia. Durante o colegial Artur humilhou Lúcia por conta de sua doença, hoje, ela é determinada e não se deixa abater quando a tratam mal e quando reencontra Atur ele inicialmente não recorda de "sua colega", mas a jovem nunca o esqueceu, já que sua atitude marcou o começo de uma insegurança que ela tenta esconder.

Atur nunca imaginou que sua vida pudesse mudar radicalmente e quando descobre que perdeu as duas pernas, tornando-se dependente inicialmente da ajuda de outras pessoas, finalmente a ficha começa a cair como costumava ser arrogante e cheio de defeitos. Quando finalmente reconhece Lúcia, a culpa o domina. Além se sentir incapaz em vários sentidos. Como sua fisioterapeuta, Lúcia consegue ser um exemplo de força, luta e coragem e isso atrai Atur. Juntos, a evolução de ambos acontece naturalmente, aprendendo a cada dia a enfrentar um novo desafio. Com toda essa proximidade é previsível durante a leitura que haverá um envolvimento afetivo entre eles, mas o fato não afeta andamento do enredo. 

O único fato que me incomodou durante a leitura foi a quantidade de mortes significativas. Em alguns momentos me perguntei se de fato era necessário e como tais personagens poderiam influenciar positivamente no contexto se tivessem continuado na história. Os temas principais apresentados sobre deficiência física/amputados e vitiligo foram suficientes para mostrar o amadurecimento dos personagens, mas fiquei com a sensação que "a morte" foi o terceiro assunto com maior evidência no enrendo. 

Aprecio esse tipo de leitura, onde é possível compreender tão intimamente seus personagens principais. Durante a leitura vários questionamentos importantes são discutidos, com posicionamentos realistas. Acredito que este livro consegue fazer o leitor se colocar no lugar de ambos os personagens, sentindo-os, como se alguém próximo lhe relata-se os infortúnios de sua vida. Foi como estar na mente de alguém e ver a realidade pelo seu olhar. Já fazia algum tempo que não lia tão rapidamente um livro e me sentia tão envolvida por um romance. "Como Tatuagem" me prendeu desde o primeiro momento até suas páginas finais.Gostei muito! Evolvida e apaixonada por essa leitura. #Recomendo


Curiosidades | Minhas leituras de Agosto e Setembro


Férias e livros, combinação perfeita!
Estou devendo esse post a vocês, não é mesmo? Como havia planejado, minha meta era ler 15 livros no período de Agosto e Setembro, mas as férias chegaram, muitas séries na Netflix para colocar em dia, viagem e esse número diminuiu consideravelmente. Em Agosto li apenas "A Garota do Calendário - Abril" da escritora Audrey Carlan. Em Setembro li Como Tatuagem do escritor Walter Tierno, totalizando assim 2 livros lidos. 

Então vamos lá!




Como não gostar de Mia Saunders? Já tinha ficado apaixonada pelo livro de Março e o de Abril novamente traz a amizade e companheirismo como destaque na narrativa. Para Mason, mulheres bonitas são fáceis conquistas, não existindo quem resista ao seu charme, porém tudo muda quando Mia aparece em sua vida, com o "não" na ponta da língua todas as vezes que ele tem uma postura desprezível, criando uma barreira para o "garanhão".Mesmo sendo uma leitura rápida, este foi um mês longo para Mia. Primeiro ela aprende a ultrapassar os desafios, para só assim conseguir uma aproximação com Mason. A amizade deles é construída degrau a degrau com muito cuidado. Estou gostando muito da série, pois a cada livro Mia adquire um novo aprendizado, sempre disposta a apoiar as pessoas em seus conflitos interiores. Em Abril, ela conseguiu transformar o machista Mason em um mês, fazendo enxergar a vida com outros olhos. Foi um crescimento mutuo, onde a amizade e a confiança guiou os passos de ambos. Foi uma bela lição. Mega curiosa para o mês de Maio!





Atur é um homem rico, egoísta,Faz parte de uma família desestruturada, é machista e não possuí nenhum respeito pelas mulheres, tratando-as como objeto de seu prazer, de forma descartável. Até que um grave acidente põe um fim a sua vida promíscua, obrigando-o a enxergar o mundo além de seus preconceitos e avaliações.Lúcia, sempre teve que batalhar muito para realizar seus objetivos, ela é fisioterapeuta e vem de família humilde. Portadora de vitiligo desde sua infância, trava diariamente um conflito tanto pessoal quanto profissional para enfrentar o preconceito das pessoas a sua volta. Agravando a situação após a morte de sua força maior e companheira, sua mãe. 


Em narrativa alternada o livro apresenta duas histórias totalmente opostas, porém com uma conexão: o passado. Como cada capítulo é narrado intercalado entre um personagem e outro, mal via a hora de eles se encontrarem. E sabe aquele velho ditado que diz: "Quem bate esquece, mas quem apanha não?" essa é uma excelente frase para representar o enredo de Artur e Lúcia.O único fato que me incomodou durante a leitura foi a quantidade de mortes significativas. Em alguns momentos me perguntei se de fato era necessário e como tais personagens poderiam influenciar positivamente no contexto se tivessem continuado na história. Mas, já fazia algum tempo que não lia tão rapidamente um livro e me sentia tão envolvida por um romance. "Como Tatuagem" me prendeu desde o primeiro momento até suas páginas finais.Gostei muito! Evolvida e apaixonada por essa leitura. #Recomendo


Espero que tenham gostado das minhas leituras de Agosto e Setembro.Até o próximo mês, leitores!




terça-feira, 2 de outubro de 2018

Citação #58 - Como Tatuagem



" Pesadelos são como chicletes derretidos grudados no cabelo, tão chatos e pegajosos que se colocam além de qualquer descrição. Será que é por isso que sonho tem verbo e pesadelo, não? O que é um pouco injusto. Não com os pesadelos, mas conosco. Facilitaria se existisse um verbo para pesadelo. Eu sonho, tu sonhas, ela sonha, nós sonhamos. Eu pesadelo, tu pesadelas, ela pesadela, nós pesadelamos. Foi isso o que fiz, pesadelei a noite toda. Não é nenhuma novidade, porque eu pesadelo bastante, sobre coisas que jamais aconteceriam, e essas são as que mais me atormentam. Mas essa noite bateu todos os recordes. Bem que eu achei que não era uma boa ideia ter comido aquele pedaço de pizza." - Pág. 23


" - Lúcia, quando você tiver qualquer dúvida sobre quanto é especial, fique pelada na frente do espelho e se olhe com muita atenção. Muita atenção, mesmo, não fique com frescura. Olhe muito bem a mulher que você é. Olhe de verdade. Até sentir vergonha. Mas não do vitiligo. Nem de estar pelada. Fique se olhando até sentir vergonha de ter pensado que não é bonita." - Pág. 25


" Provavelmente, toda filha é assim: passa a vida tentando esconder suas angústias da mãe, mesmo sabendo que nunca vai conseguir." - Pág. 27


" A saudade pode ser doce ou dolorosa, não importa. Sempre nos faz sentir vivos, mesmo que não pareça ser essa sua intenção. A saudade é como uma onda que arrebenta suavemente na boca do estômago, se espalha  pelo corpo e nos afoga suavemente, sem fazer alarde." - Pág. 51


" Ele não me reconheceu ontem e, parece, hoje também não, e isso é bom. O que passou, passou, mas o passado tem uma irritante mania de assombrar o presente se não o deixarmos bem enterradinho onde merece." - Pág. 123


" É que...meio que...caiu a ficha, sabe?
-  Sei
- Sabe? - Ele me examina.
- Já vi essa reação antes.
- Mas nunca sentiu, não é? - A voz está começando a ficar carregada de agressividade.
- Não. Não do mesmo jeito que você.
Para mim, a ficha caiu aos poucos, diariamente, um pedacinho por vez. Ainda cai. E não é pela falta de um pedaço do corpo. É por ser alvo da ignorância alheia." - Pág. 124


" Não queria morrer. Só queria deixar esta vida. Não mergulhei para me afogar. Mergulhei para voar. Ser livre. Não precisar mais daquilo que não tenho." - Pág. 160


" A amputação não aconteceu lá no hospital, com as serras e bisturis e seja lá o que mais eles usem para cortar as pernas de uma pessoa. Não. A amputação verdadeira aconteceu aqui, no toque macio que mata as pernas fantasmas." - Pág. 164


" A vida parece ter se cansado de oferecer tantas vantagens a ele. Está recolhendo o troco com juros. E pensar nisso está me afetando mais do que manda o bom senso." ( Lúcia sobre Artur) - Pág.



" Tento esvaziar a cabeça, esquecer essa sensação de frustração sem causa. Quando a vida sai do eixo e você não sabe como nem em que momento aconteceu o desvio, fica difícil reencontrar o caminho. A ironia é que, muitas vezes, tudo o que você precisa fazer é olhar para o lado, porque a  resposta está ali. E essa resposta pode ser simplesmente outra pessoa que também se perdeu, e tudo que vocês precisam fazer é caminhar juntos." - Pág. 172 a 173


" Lembro um rosto mais perfeitamente que todos os outros. Um rosto cor de argila, com manchas brancas que desenham uma caveira. Um rosto que não me aceita e me desafia, que me rouba o conforto de poder me fazer de vítima do mundo. Um rosto que tira esse peso do meu peito."- Pág. 177


" Artur pode ser um garoto mimado, do tipo que coleciona falhas de caráter, mas ninguém passa  pelo que ele está passando na boa, não importa com quanto privilégio a vida o tenha  presenteado. Perder as pernas, a mãe e o orgulho não são pratos muito fáceis de digerir." - Pág. 196


" Nenhuma memória passa por minha mente, agora. Nenhuma história amarga meu coração. Apenas sinto sua fragilidade disfarçada, sua humanidade negada antes e abraçada agora. Sua entrega. O segredo de cada uma de suas virtudes e cada um de seus defeitos, traídos por um beijo.
  Um beijo que é sensual e transcendental. Não são apenas línguas que se tocam, são duas almas que se comunicam, corações que batem, não no mesmo ritmo, mas em uma harmonia quase musical." - Pág. 209


" Vejo confusão em seus olhos. Ele tenta responder, mas nenhuma palavra o acorde. Assim como nenhuma lógica vem para me auxiliar. Aquele desejo adolescente esquecido e reacendido. A facilidade com que conversamos, confortáveis. Nossa relação é mais que um encontro casual de inimigos. Mais que um contrato. Sempre foi uma fogueira apagada, com brasas vivas sobre galhos velhos e secos, esperando apenas uma fagulha para se incendiar." - Pág. 210


" Ela se levanta e se afasta. Se pudesse, levantaria e iria até ela e a abraçaria. Mas estou no sofá e me sinto pequeno e impotente. Não pela falta das pernas. É pelo medo. Um medo do que percebo que sinto, porque talvez eu não tenha direito a esse sentimento." - (Artur) - Pág. 213


" Não são mudanças provocadas por amor, e a verdade é que nem sei se o que acontece com ele pode ser considerado uma transformação. Parece muito mais um amadurecimento natural, tipicamente construído por meio de escolhas pragmáticas. E ele as tem feito abundantemente. A maioria, boa. 
  Talvez seja isso que defina o caráter de uma pessoa: A qualidade de suas escolhas.  Não sei dizer se nossa relação o influencia, ou se é apenas fruto dessas decisões, e a verdade é que não me interessa, porque estou tão feliz quanto é possível." - Pág. 263


" Ele é verdadeiro. E amar uma  pessoa verdadeira, com suas camadas e defeitos, é o que realmente pode causar aquele derretimento no peito que eu  procurava quando era adolescente. Um sentimento real, falho, excitante, indecente e  puro. Acima de tudo, vivo. Não há fábula que se compare a ele, não há cisne fantasioso que o inspire." (Lúcia  sobre Artur) - Pág. 263


" E sei que não é perfeita. E sei que suas imperfeições não têm nada a ver com as manchas da pele. Sei  que ela sofre, não pela doença - que não causa nada além da descoloração -,  mas pela forma como as pessoas olham para ela, como muitas a trataram, tratam e ainda tratarão." - Pág. 275



quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Curiosidades | Visitando a Livraria El Ateneo Grand Splendid em Buenos Aires



Um bom filho, a casa volta!

Olá leitores, tudo bem com vocês?
Em minha última viagem fui para Buenos Aires, uma cidade maravilhosa, cheia de cultura, praças e arte, resumindo tudo que gosto em um só local. Amei a cidade, visitei vários pontos turísticos, seus museus e como grande leitora que sou, curiosa por atividades e lugares relacionados ao meio literário, não poderia ir embora da Argentina sem conhecer El Ateneo. 




Um pouco de história.

O edifício localizado no bairro da Recoleta, mas precisamente na Avenida Santa Fé, no passado foi aberto como um teatro chamado Gran Splendid, em maio de 1919. No final da década de 1920, o teatro foi convertido em um cinema e em 1929 mostrou os primeiros filmes sonoros apresentados na Argentina.O antigo teatro ornamentado foi arrendado pelo Grupo Ilhsa em fevereiro de 2000. Ilhsa, através da Tematika, possui as livrarias El Ateneo e Yenny (totalizando mais de 40 lojas), bem como o El Ateneo editora. El Ateneo Grand Splendid tornou-se a principal loja do grupo e, em 2007, vendeu mais de 700.000 livros. Mais de um milhão de pessoas visitam o local anualmente.



Conhecendo a livraria.

Considerada uma das livrarias mais bonitas do mundo El Ateneo Grand Splendid, encanta qualquer leitor. É impossível visitar o local e não ficar fascinado(a) ao ver que a arquitetura do teatro foi mantida, e utilizaram o espaço para fazer a livraria. Todos os detalhes impressionam, e quando se está entre as prateleiras olhando para o palco, para a cúpula decorada com afrescos ou das varandas originais de sua decoração intacta do teatro, compreendemos porque a livraria leva esse título grandioso. 


Imagem da 1°escada.
Imagem da 2° escada.




















No palco há um café aconchegante para uma leitura, além dos assento próximo a ele que também são espaços reservados para fazê-la. Como é comum nas livrarias seus livros são separados por gêneros. Ao subir as escadas há ilustrações sobre o reconhecimento da livraria. A El Ateneo também possui um andar com CDs, DVds e Blu rays relacionados a cultura do pais e a assuntos da atualidade. 

Referente ao valor de seus livros, são bem  similares aos valores das grandes livrarias do  nosso país. E sendo assim, lógico que trouxe um livrinho novo para minha estante! Estou até pensando em começar um movimento: "Conhecendo o mundo e seus livros" o que acham leitores?





Então, se está pensando em ir para Buenos Aires e é apaixonado (a) por livros, ou simplesmente um(a) curioso(a) por belos lugares turísticos, não deixe de visitar El Ateneo Grand Splendid, a livraria funciona de segunda à quinta das 9 hs às 22 hs. Sextas e sábados das 9 hs às 00hs. Domingos das 12 hs às 22 hs. Você não irá se arrepender! 


quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Notícias | Férias e Livros! O que vem por aí #Setembro


Queridos Leitores, 

 Como informei na postagem "15 livros em dois meses, será que dá?", minhas férias chegaram! Geralmente neste período eu costumo me ausentar do blog, porém dessa vez, ficarei afastada apenas na plataforma oficial (está página). Para você, que me acompanha somente pelo blogger, saiba, que continuarei ativa apenas nas redes sociais do Paraíso dos Livros durante final de Agosto até a terceira semana de Setembro, sendo elas (clique para acessar):


 Já que terei um tempinho livre, como voraz leitora que sou, decidi investir nas leituras, recuperando o tempo (que não tenho) para sair do padrão de uma ou duas leituras por mês e estou fazendo o desafio 15 livros em dois meses. Para conferir clique AQUI.
  Retorno a página do blog, na última semana de Setembro com muitas novidades e espero que com muitas resenhas e histórias para contar a vocês!

Um abraço e até breve, leitores!