terça-feira, 2 de outubro de 2018

Citação #58 - Como Tatuagem



" Pesadelos são como chicletes derretidos grudados no cabelo, tão chatos e pegajosos que se colocam além de qualquer descrição. Será que é por isso que sonho tem verbo e pesadelo, não? O que é um pouco injusto. Não com os pesadelos, mas conosco. Facilitaria se existisse um verbo para pesadelo. Eu sonho, tu sonhas, ela sonha, nós sonhamos. Eu pesadelo, tu pesadelas, ela pesadela, nós pesadelamos. Foi isso o que fiz, pesadelei a noite toda. Não é nenhuma novidade, porque eu pesadelo bastante, sobre coisas que jamais aconteceriam, e essas são as que mais me atormentam. Mas essa noite bateu todos os recordes. Bem que eu achei que não era uma boa ideia ter comido aquele pedaço de pizza." - Pág. 23


" - Lúcia, quando você tiver qualquer dúvida sobre quanto é especial, fique pelada na frente do espelho e se olhe com muita atenção. Muita atenção, mesmo, não fique com frescura. Olhe muito bem a mulher que você é. Olhe de verdade. Até sentir vergonha. Mas não do vitiligo. Nem de estar pelada. Fique se olhando até sentir vergonha de ter pensado que não é bonita." - Pág. 25


" Provavelmente, toda filha é assim: passa a vida tentando esconder suas angústias da mãe, mesmo sabendo que nunca vai conseguir." - Pág. 27


" A saudade pode ser doce ou dolorosa, não importa. Sempre nos faz sentir vivos, mesmo que não pareça ser essa sua intenção. A saudade é como uma onda que arrebenta suavemente na boca do estômago, se espalha  pelo corpo e nos afoga suavemente, sem fazer alarde." - Pág. 51


" Ele não me reconheceu ontem e, parece, hoje também não, e isso é bom. O que passou, passou, mas o passado tem uma irritante mania de assombrar o presente se não o deixarmos bem enterradinho onde merece." - Pág. 123


" É que...meio que...caiu a ficha, sabe?
-  Sei
- Sabe? - Ele me examina.
- Já vi essa reação antes.
- Mas nunca sentiu, não é? - A voz está começando a ficar carregada de agressividade.
- Não. Não do mesmo jeito que você.
Para mim, a ficha caiu aos poucos, diariamente, um pedacinho por vez. Ainda cai. E não é pela falta de um pedaço do corpo. É por ser alvo da ignorância alheia." - Pág. 124


" Não queria morrer. Só queria deixar esta vida. Não mergulhei para me afogar. Mergulhei para voar. Ser livre. Não precisar mais daquilo que não tenho." - Pág. 160


" A amputação não aconteceu lá no hospital, com as serras e bisturis e seja lá o que mais eles usem para cortar as pernas de uma pessoa. Não. A amputação verdadeira aconteceu aqui, no toque macio que mata as pernas fantasmas." - Pág. 164


" A vida parece ter se cansado de oferecer tantas vantagens a ele. Está recolhendo o troco com juros. E pensar nisso está me afetando mais do que manda o bom senso." ( Lúcia sobre Artur) - Pág.



" Tento esvaziar a cabeça, esquecer essa sensação de frustração sem causa. Quando a vida sai do eixo e você não sabe como nem em que momento aconteceu o desvio, fica difícil reencontrar o caminho. A ironia é que, muitas vezes, tudo o que você precisa fazer é olhar para o lado, porque a  resposta está ali. E essa resposta pode ser simplesmente outra pessoa que também se perdeu, e tudo que vocês precisam fazer é caminhar juntos." - Pág. 172 a 173


" Lembro um rosto mais perfeitamente que todos os outros. Um rosto cor de argila, com manchas brancas que desenham uma caveira. Um rosto que não me aceita e me desafia, que me rouba o conforto de poder me fazer de vítima do mundo. Um rosto que tira esse peso do meu peito."- Pág. 177


" Artur pode ser um garoto mimado, do tipo que coleciona falhas de caráter, mas ninguém passa  pelo que ele está passando na boa, não importa com quanto privilégio a vida o tenha  presenteado. Perder as pernas, a mãe e o orgulho não são pratos muito fáceis de digerir." - Pág. 196


" Nenhuma memória passa por minha mente, agora. Nenhuma história amarga meu coração. Apenas sinto sua fragilidade disfarçada, sua humanidade negada antes e abraçada agora. Sua entrega. O segredo de cada uma de suas virtudes e cada um de seus defeitos, traídos por um beijo.
  Um beijo que é sensual e transcendental. Não são apenas línguas que se tocam, são duas almas que se comunicam, corações que batem, não no mesmo ritmo, mas em uma harmonia quase musical." - Pág. 209


" Vejo confusão em seus olhos. Ele tenta responder, mas nenhuma palavra o acorde. Assim como nenhuma lógica vem para me auxiliar. Aquele desejo adolescente esquecido e reacendido. A facilidade com que conversamos, confortáveis. Nossa relação é mais que um encontro casual de inimigos. Mais que um contrato. Sempre foi uma fogueira apagada, com brasas vivas sobre galhos velhos e secos, esperando apenas uma fagulha para se incendiar." - Pág. 210


" Ela se levanta e se afasta. Se pudesse, levantaria e iria até ela e a abraçaria. Mas estou no sofá e me sinto pequeno e impotente. Não pela falta das pernas. É pelo medo. Um medo do que percebo que sinto, porque talvez eu não tenha direito a esse sentimento." - (Artur) - Pág. 213


" Não são mudanças provocadas por amor, e a verdade é que nem sei se o que acontece com ele pode ser considerado uma transformação. Parece muito mais um amadurecimento natural, tipicamente construído por meio de escolhas pragmáticas. E ele as tem feito abundantemente. A maioria, boa. 
  Talvez seja isso que defina o caráter de uma pessoa: A qualidade de suas escolhas.  Não sei dizer se nossa relação o influencia, ou se é apenas fruto dessas decisões, e a verdade é que não me interessa, porque estou tão feliz quanto é possível." - Pág. 263


" Ele é verdadeiro. E amar uma  pessoa verdadeira, com suas camadas e defeitos, é o que realmente pode causar aquele derretimento no peito que eu  procurava quando era adolescente. Um sentimento real, falho, excitante, indecente e  puro. Acima de tudo, vivo. Não há fábula que se compare a ele, não há cisne fantasioso que o inspire." (Lúcia  sobre Artur) - Pág. 263


" E sei que não é perfeita. E sei que suas imperfeições não têm nada a ver com as manchas da pele. Sei  que ela sofre, não pela doença - que não causa nada além da descoloração -,  mas pela forma como as pessoas olham para ela, como muitas a trataram, tratam e ainda tratarão." - Pág. 275



2 comentários:

Atividades do Blog