segunda-feira, 13 de março de 2017

Resenha | A Última Casa da Rua - Lily Blake, David Loucka, Jonathan Mostow



Autor: Lily Blake, David Loucka, Jonathan Mostow
Editora: iD
Páginas: 184
Avaliação:
      

Livro de rápida leitura com final revelador!

Elissa e sua mãe tem a chance de recomeçar suas vidas em uma nova casa no interior dos Estados Unidos. Porém a relação conflituosa entre mãe e filha, ganha ainda mais destaque quando Elissa fica curiosa com o misterioso vizinho da casa ao lado: Ryan Jacobsen. Diferente da vizinhança que prefere manter distância do rapaz, Elissa fica intrigada pelo fato de Ryan morar na casa aonde seus pais foram assinados por sua irmã no passado, isolado de tudo e todos, Elissa procura entender seus tramas mesmo com todos os avisos de sua mãe para ficar longe do rapaz. 

Dentro de um contexto adolescente, o livro chama a atenção do leitor por suas mudanças de cenas interativas, introduzindo a história principal juntamente com da protagonista Elissa de maneira leve. Há a sensação que algo está muito errado na história desde o início, mas Elissa faz com que o leitor, acredite que Ryan talvez seja só alguém que quer viver onde todas suas lembranças foram construídas na infância. Mesmo que as pessoas desejem vê-lo distante do local, agindo de forma preconceituosa ao julgá-lo por sua atitude de viver na antiga casa de seus pais. 

Um fato interessante desse livro é a mensagem que ele transmite de como conflitos familiares podem influenciar a mente de alguém em sua fase adulta. Elissa é uma adolescente, cabeça dura,por vezes desobediente enquanto Ryan é alguém que teve sua vida completamente modificada após o acidente de sua irmã Carrie Anne. A aproximação deles se desenvolve naturalmente por conta da curiosidade que possuem um pelo outro, mas Elissa melhor do que ninguém compreende que às vezes é difícil aceitar e lidar com a decisão dos seus pais.

Sabe aquela frase que diz que quando mãe fala para não fazer algo é que aquilo não será bom para você ? Então, né... Os avisos de Sarah Cassidy são como um recado constante que algo terrível vai acontecer com Elissa se ela continuar insistido em visitar Ryan. A medida que a narrativa avança fica o suspense no ar, os sinais, a agonia, o medo tudo criando o clima perfeito para a grande revelação final.

Um crime e um ponto chave chamando Carrie Anne!
Por mais confuso que possa parecer algumas partes, todos os fatos fazem um enorme sentido ao final do livro. Não quero dar spoilers, então tudo que posso dizer é que a história é um grande quebra-cabeça e quando mais peças se tem, e se acha que finalmente conseguiu enfim montá-lo, ainda sim sobrou uma peça chave para lhe surpreender. Ryan realmente é um ser de dupla personalidade, mas o seu interior complexo torna tudo muito mais interessante para o fechamento do livro. De modo geral o livro tem seus clichês adolescentes (algo que incomoda um pouco no começo), porém seu final conquista o leitor por sua ação, o terror oculto do sombrio personagem principal e por seu inimaginável encerramento.


Um comentário:

  1. Uau! Pelo visto temos um suspense daqueles que faz a nossa cabeça dar um no mesmo já tendo resolvido o problema... Gostei!

    ResponderExcluir