segunda-feira, 11 de julho de 2016

Citações do livro "Cidade de Vidro" (28)



“- Por favor. Se não dissermos nada... Se simplesmente fingirmos...
- Não da para fingir – disse Jace, objetivo. – Eu amo você, e vou amar até morrer, e se houver vida depois disso, vou amar também.” pág.295


“As pessoas não nascem boas ou ruins. Talvez nasçam com tendências a um caminho ou outro, mas é a maneira como se vive a vida que importa. E as pessoas que conhecemos.”


"Agora passo o tempo todo pensando em como posso voltar ao que era antes, depois de uma coisa dessas. Se podemos ser amigos outra vez ou se o que tínhamos se quebrou. Não por causa dela, mas por minha causa." - Simon 


“Fazer a coisa certa por amor às vezes é um saco.”


“O amor cria mentirosos. A Rainha Seelie me disse. Então não me julgue por mentir sobre como me sinto.”


"Os sonhos podiam ser ruins, mas as imagens que marchavam por seu cérebro quando acordada não eram muito melhores."

"Pois era isso que familiares faziam quando se preocupavam uns com os outros, segurar, abraçar e explicar o quanto ficaram irritados… e tudo bem, pois independentemente da raiva que o fizera sentir, ainda pertenciam a você.”


"Houve uma colisão… o som de estilhaçar… e um súbito salpicar de vidro quebrado como um jato de estrelas irregulares. Jace olhou abaixo para sua mão com um interesse clínico enquanto largas gotas vermelhas de sangue reuniam-se e espalhavam-se abaixo no chão a seus pés."



"Eu te amo, Clary queria dizer. E teria feito tudo outra vez. Sempre pediria você.” P.440."




Um trecho Alec e Jace:


"Jace olhou para ele firmemente.

— O que há entre você e Magnus Bane?

A cabeça de Alec se jogou para trás.

— Eu não… não há nada…

— Eu não sou burro. Você foi direto para Magnus depois que falou com Malachi, antes você falaria comigo ou Isabelle ou qualquer pessoa…

— Por que ele era o único que podia responder minha pergunta, esse é o porquê. Não há nada entre nós — Alec disse… e então, segurando o olhar no rosto de Jace, adicionou com grande relutância — não mais. Não há nada mais entre nós. Ok?
— Eu espero que não seja por minha causa — Jace falou.
Alec ficou branco e se puxou para trás, como se estivesse se preparando para se desviar de um golpe.
— O que você quer dizer?
— Eu sei como você acha que se sente sobre mim. Entretanto, não sente. Você apenas gosta de mim por que sou seguro. Não há risco. E então nunca teve que tentar um relacionamento real já que pode me usar como desculpa.
Jace sabia que estava sendo cruel, e ele mal se importava. Machucar as pessoas que ele amava era quase tão bom quanto machucar a si mesmo quando estava com este tipo de humor.
— Eu entendi — Alec disse firmemente — primeiro Clary, então sua mão, agora eu. Para o Inferno com você, Jace.
— Você não acredita em mim? — Jace perguntou. — Ótimo. Vá em frente. Me beije agora mesmo.
Alec olhou para ele com horror.


— Exatamente. Apesar da minha incrível boa aparência, você na verdade não gosta de mim desse jeito. E se estiver se afastando Magnus, não é por minha causa. É por que você está assustado demais para dizer a alguém que você realmente ama. O amor nos faz mentirosos. A Rainha Seelie me disse isso. Então não me julgue por mentir sobre como eu me sinto. Você faz isso também — ele se levantou — e agora, quero que você faça isso novamente.

O rosto de Alec estava rígido com a dor.''

2 comentários:

Atividades do Blog