quinta-feira, 8 de março de 2018

Resenha | As Crônicas de Bane - Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson




Autor: Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson
Editora: Galera Record
Páginas: 388
Avaliação:
      


Sou suspeita para falar quando o assunto é Magnus Bane, pois entre os muitos personagens criados pela autora Cassandra Clare, ele sem dúvida é o meu favorito. O livro “As Crônicas de Bane” traz onze contos relacionados à vida do feiticeiro. Alguns deles são sobre as aventuras de Bane, enquanto outros estão relacionados aos personagens conhecidos das séries "Os instrumentos mortais" e "As peças infernais". Então, se ainda não leu ambas as séries recomendo que faça isso antes de ler este livro. Caso contrário terá muitos spoilers, além de não compreender algumas referências de fatos futuros e árvore genealógica de algumas famílias de caçadores de sombras no qual Magnus Bane teve contato, mantendo uma forte consideração e importância em sua vida.

Todos os fatos apresentados no livro são relevantes de alguma maneira, Magnus é alguém marcante que deixa um pouco de si, para as pessoas que fazem e fizeram parte da sua vida e isso é fascinante. Ele viu muita coisa, viveu intensamente e procurou sempre seguir seus instintos e coração. Cada um dos contos explora esse modo intenso de Magnus. 

Há muito sobre a amizade de Ragnor Fell e Catarina Loss. Assim como a amizade também duradora de Tessa Gray e o encantamento de Magnus por Will Herondale e seu parabatai Jem Carstairs. Histórias não contadas nos demais livros como o surgimento do Hotel Dumort; A mudança dos Acordos estabelecendo uma nova lei para caçadores de sombras e submundanos; Como Rafael Santiago virou um vampiro e em quais circunstâncias isso ocorreu; O doloroso sacrifício em nome do amor de Edmund Herondale; O surgimento do Círculo de Valentim Morgenstern e o duelo trágico com Magnus Bane; O primeiro encontro de Jocelyn Fairchild com Clary ainda bebê na residência de Magnus Bane com Tessa Gray fazendo o papel de auxiliadora, fazem parte das Crônicas de Bane.

Um personagem tão cativante, marcante, mágico e único também teve seu coração machucado por muitos amores e o livro divide com o leitor grande parte desses momentos de Magnus. Muitos intensos, outros tristes, porém em todos o feiticeiro se entregou a cada instante. Até que enfim surgiu Alexandre Lightwood para balançar suas estruturas e o feitiço literalmente viu o feitiço se virar contra o feiticeiro. Ainda estou superando o momento que Magnus diz estar nem aí para o piralho dos Lightwood...Que boca em Magnus Bane (rs). 

Todas as partes com Alec são lindas e fofas, mas também gostei bastante dos diversos detalhes sobre a relação de amor e ódio de Magnus e Camille. O livro da uma explicação sólida sobre como a paixão que Magnus sentia pela vampira aos poucos se acabou e o porque Alec acaba se tornando seu par ideal. Enfim gostei bastante disso.

Sabe aquele tipo de livro que você fica com saudades quando acaba a leitura? Este foi "As Crônicas de Bane" para mim. Amei esse livro do início ao fim! Foi muito difícil devolvê-lo para estante. Leria novamente e já é um dos meus favoritos! Mal vejo a hora do lançamento da série exclusiva de Magnus, estou contando os minutos! Obrigada Cassie. #Recomendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário