quinta-feira, 29 de maio de 2014

Citações do Livro "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (7)


" Foi na esquina da rua que ele notou o primeiro indício de que algo estranho ocorria - um gato lia um mapa. Por um instante o Sr. Dursley não percebeu o que vira - e seguida, virou rapidamente a cabeça para dar uma segunda olhada. Havia um gato de listras amarelas sentado na esquina da rua dos Alfeneiros, mas não havia nenhum mapa à vista. Em que estaria pensando naquela hora? Deveria ter sido um efeito da luz. Ele piscou e arregalou os olhos para o gato. O gato o encarou. Enquanto virava a esquina e subia a rua, espiou o gato pelo espelho retrovisor. Ele agora estava lendo a placa que dizia rua dos Alfeneiros - não, estava olhando a placa: gatos não podiam ler mapas nem placas. O sr. Dursley sacudiu a cabeça e tirou o gato do pensamento. Durante o caminho para a cidade ele não pensou em mais nada exceto no grande pedido de brocas que tinha esperança de receber naquele dia. " - Pág. 8


" - Você não quer dizer, você não pode estar se referindo às pessoas que moram aqui?! - exclamou a Profa. Minerva, pulando de pé e apontando para o número quatro. - Dumbledore, você não pode. Estive observando a família o dia todo. Você não poderia encontrar duas pessoas menos parecidas conosco. E têm um filho, vi-o dando chutes na mãe até a rua, berrando porque queria balas. Harry Potter vir  morar aqui!
  - É o melhor lugar para ele - disse Dumbledore com firmeza. - Os tios poderão lhe explicar tudo quando ele for mais velho, escrevi-lhes uma carta.
 - Uma carta? - repetiu a professora com a voz fraca, sentado-se novamente no muro. - Francamente, Dumbledore, você acha que pode explicar tudo isso em uma carta? Essas pessoas jamais vão entendê-lo! Ele vai ser famoso, uma lenda. Eu não me surpreenderia se o dia de hoje ficasse conhecido no futuro como o dia de Harry Potter. Vão escrever livros sobre Harry. Todas as crianças no nosso mundo vão conhecer o nome dele!
- Exatamente - disse Dumbledore, olhando muito sério por cima dos óculos de meia-lua. - Isto seria o bastante para virar a cabeça de qualquer menino. Famoso antes mesmo de saber andar e falar! Famoso por alguma coisa que ele nem vai se lembrar! Você não vê que ele estará muito melhor se crescer longe de tudo isso até que tenha capacidade de compreender?" - Pág. 15-16


" - Foi aí que...? - Sussurrou a professora.
- Foi - confirmou Dumbledore. - Ficará com a cicatriz para sempre.
- Será que você não poderia dar um jeito, Dumbledore?
- Mesmo que pudesse, eu não o faria. As cicatrizes podem vir a ser úteis. Tenho uma acima do joelho esquerdo que é um mapa perfeito do metrô de Londres." - Pág. 17


" Uma brisa arrepiou as cercas bem cuidadas da rua dos Alfeneiros, silenciosas e quietas sob o negror do céu, o último lugar do mundo em que alguém esperaria que acontecessem coisas espantosas. Harry Potter virou-se dentro dos cobertores sem acordar. Sua mãozinha agarrou a carta ao lado, mas ele continuou a dormir, sem saber que era especial, sem saber que era famoso, sem saber que iria acordar dentro de poucas horas com o grito da Sra. Dursley ao abrir a porta da frente para pôr as garrafas de leite do lado de fora, nem que passaria as próximas semanas levando cutucadas e beliscões do primo Duda...ele não podia saber que, neste mesmo instante, havia pessoas se reunindo em segredo em todo o país que erguiam os copos e diziam com vozes abafadas:
 - A Harry Potter: o menino que sobreviveu!" - Pág. 18


" Você-Sabe-Quem matou os dois. E então, e esse é o verdadeiro mistério da coisa, ele tentou matar você. Queria fazer o serviço completo, acho, ou então tinha começado a gostar de matar. Mas não conseguiu. Você nunca se perguntou como arranjou essa marca na testa? Isso não foi um corte normal. Isso é o que se ganha quando um feiticeiro poderoso e maligno atinge a gente; destruiu os seus pais e até a sua casa, mas não fez efeito em você, e é por isso que você é famoso, Harry. Ninguém nunca sobrevivia depois que ele decidia matar, ninguém a não ser você, e ele já havia matado alguns dos melhores bruxos da época, os McKinnon, os Bone, os Prewett, e você era apenas um bebê, e sobreviveu." - Pág. 45-46


" Tem quem diga que ele morreu. Besteira, na minha opinião. Não sei se ainda tinha humanidade suficiente para morrer. Tem quem diga que ainda está lá fora esperando, ou coisa parecida, mas não acredito. Gente que estava do lado dele voltou para o nosso. Uns pareciam que estavam saindo de uma espécie de transe. Acho que não teriam feito isso se ele fosse voltar.
  A maioria de nós acha que ele ainda anda por aí, mas perdeu os poderes. Está fraco demais para continuar. Porque alguma coisa em você acabou com ele, Harry. Aconteceu alguma coisa, naquela noite, com que ele não estava contando, eu não sei o que foi, ninguém sabe, mas alguma coisa em você o aleijou, para valer." - Pág. 47


" - Curioso...curioso...
- O senhor me desculpe - disse Harry - ,mas o que é curioso?
O Sr. Olivaras encarou Harry com aqueles olhos claros.
- Lembro-me de cada varinha que vendi, Sr. potter. DE cada uma. Acontece que a fênix cuja pena está na sua varinha produziu mais uma pena, apenas mais uma. É muito curioso que o senhor tenha sido destinado para esta varinha porque a irmã dela, ora, a irmã dela produziu a sua cicatriz.
  Harry engoliu em seco.
- É, tinha trinta e quatro centímetros. Puxa. É realmente curioso como essas coisas acontecem. A varinha escolhe o bruxo, lembre-se... Afinal, Aquele-Que-Não-SE-Deve-Ser-Nomear realizou grandes feitos, terríveis, sim, mas grandes." - Pág. 66


" - Não se preocupe, Harry. Você vai aprender bem depressa. Todos começam pelo começo em Hogwarts, você vai se dar bem. Seja você mesmo. Sei que é difícil. Você vai ser discriminado e isso é muito duro. Mas vai se divertir a valer em Hogwarts. Eu me diverti; e ainda me divirto, para dizer a verdade." - Pág. 67


" Harry observou a menina e a mãe desaparecerem quando o trem fez a curva. As casas passaram num relâmpago pela janela. Harry sentiu uma grande excitação. Não sabia aonde estava indo mas tinha de ser melhor do que o lugar que estava deixando para trás."- Pág. 75 




“ - Sejam bem-vindos! – disse. – Sejam bem-vindos para um novo ano em Hogwarts! Antes de começarmos nosso banquete, eu gostaria de dizer umas palavrinhas: Pateta! Chorão! Desbocado! Beliscão! Obrigado.” - Pág. 109



“Não faz bem viver sonhando e se esquecer de viver, lembre-se.” - Pág. 185



“Afinal, para a mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte.” - Pág. 253



“A verdade é uma coisa bela e terrível, e portanto deve ser tratada com grande cautela.” - Pág. 254


“ Existe todo tipo de coragem – disse Dumbledore sorrindo – É preciso muita audácia para enfrentarmos os nossos inimigos, mas igual audácia para defendermos os amigos.” - Pág. 261

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atividades do Blog