segunda-feira, 26 de março de 2018

Resenha | A Garota do Calendário - Fevereiro - Audrey Carlan - Livro 2



Autor: Audrey Carlan
Editora: Verus Editora
Páginas: 135
Avaliação:
    


A saga de Mia continua, em Fevereiro!

Agora seu novo destino é Seattle. Neste mês Mia tem a missão de ser a musa do excêntrico pintor francês Alec Dubois. Com obras impactantes contendo modelos nus, Alec tornou-se conhecido no mundo das artes, e vê em Mia uma inspiração para sua nova coleção. Ao longo do mês Mia aprende com Alec uma visão diferente sobre o amor. Criando maturidade nas questões do coração e compreendendo o significado dos seus sentimentos por Wes. 

Alec é alguém sensível ao que se refere à arte. Encontrando beleza nas pequenas coisas ao seu redor. Porém ele também possui uma visão um tanto prática, acreditando que o amor é um sentimento que vai além do envolvimento, ou da entrega. O presente é tudo que eles possuem, para ser explorado. No caso deles dentro do período de um mês, ele amará Mia a seu jeito e isso é tudo o que importa. Não existe um jogo de conquista entre ambos, não há algo romântico, apenas há objetivos em comum e sexo. Naturalmente o envolvimento ?entre dos lençóis" faz crescer uma amizade do criador e a criatura. Mas isso, não foi o suficiente para me manter conectada a história como aconteceu com o livro de Janeiro. Demorei a finalizar essa leitura, e olha que é um livro de apenas 130 páginas. 

Ao ler Fevereiro tive a impressão que tudo se resumia apenas a sexo e nada mais. Alec precisava de Mia para pintar as suas telas, e contar a história de seus quadros, mas ela também parece ter um único pensamento constante, ficar com Alec após as pinturas, ou entre elas. Esse jogo de interesse pode ser até interessante em algumas páginas, mas na maioria delas ficou repetitivo. 

Por outro lado, um aspecto positivo foi Mia continuar a ter sentimentos por Wes, não criando nenhum vínculo amoroso com seu próximo cliente, como o primeiro livro deu a entender que seria. Mia manteve-se focada ao real significado da sua jornada, seu pai. E tudo isso graças ao francês e suas teorias sobre o amor que fizeram Mia amadurecer em um espaço curto de tempo.

"Nunca sonhei que a experiência de ser musa pudesse me mudar. Mas aconteceu. Você me mudou. Para melhor.
Obrigada, Alec, por me mostrar que é bom amar, dar amor livremente e aceitar o amor que me foi dado, mesmo que por pouco tempo. Mia"

No próximo mês finalmente Mia terá que encontrar com o agiota que colocou seu pai em coma. Ela também reencontrará sua irmã e sua melhor amiga. Espero que o Março seja mais envolvente do que Fevereiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atividades do Blog